terça-feira, 11 de maio de 2010

Opinião: ABC Tira Happy Town da Grade de Programação

Clique na imagem para ampliar

Prometo não dizer “eu sabia”, mas bem que poderia. O canal ABC irá tirar a série “Happy Town” do ar após a exibição do episódio dessa semana. Os cinco últimos episódios (de um total de 8 encomendados para a primeira temporada) serão exibidos a partir do dia 2 de junho. Quando esse tipo de movimento ocorre (em especial com séries de midseason) é cancelamento na certa.

Os canais americanos costumam tirar séries de baixa audiência do ar jogando os episódios restantes na programação de junho e julho. Desta forma, poderão exibir programas inéditos no verão americano. Tanto as estreias da midseason quanto as do verão americano costumam ser aquelas sobre as quais se têm dúvidas quanto ao seu potencial. Muitas conseguem sobreviver ao caírem no agrado do público, mas a maioria é cancelada.

O canal ABC deveria voltar ‘às salas de aula’ de como vender suas séries de TV. Depois de autorizar o departamento de marketing a vincular o material publicitário de “FlashForward” como sendo a nova “Lost”, o canal viu a série amargar na audiência por um único motivo: traz um péssimo desenvolvimento de história e personagens. Na tentativa dos roteiristas de se afastarem do conteúdo do livro do qual se originou a série fez com que eles se perdessem no meio do caminho. Supostamente teriam aprendido a lição. Mas nããããããão, a ABC continuou seguindo o mesmo caminho e ao lançar “Happy Town” a vendeu como sendo a nova “Twin Peaks”.

Quando é que o canal, que traz no nome as letras do começo do abecedário, irá aprender a lição? Nunca, jamais, ‘never‘, ‘jamais‘, se deve vender um produto explorando a fama de outro. Deixe que o público e a imprensa façam a ligação e a referência natural. Ao lançar séries com esse tipo de campanha de marketing o canal compromete a produção que será vista pela comparação. A não ser, é claro, que se trate de um remake ou então que a qualidade do conteúdo seja tão baixa que haja necessidade de se vincular à nova produção uma referência à antiga para que ela possa ser vista, nem que seja por poucos episódios. Mas nesse caso, para que produzir?

De um modo geral, são poucos os remakes ou produções com referências à clássicos que dão certo (em comparação à quantidade produzida). Uma série se torna um clássico por dezenas de motivos, que vão além de seu conteúdo. Ao tentar reproduzir esse movimento, os produtores invariavelmente se esquecem do desenvolvimento de roteiro e personagens, preocupando-se mais em puxar referências ou tentar captar ideias e ambientes. Resumo da ópera: preocupam-se mais com a estética do que com o conteúdo. “Happy Town” é só mais uma que segue esse caminho, embora tivesse potencial para se desenvolver por conta própria.

Se a ABC bobear, acabará seguindo o mesmo caminho da NBC, que, depois do final de “Plantão Médico/ER” e com as mudanças de diretoria, não vem conseguindo acertar sua programação, caindo para o terceiro lugar na audiência da TV aberta. No momento, apenas as sitcoms da ABC parecem mais promissoras para cobrir o vácuo que será deixado por “Lost” nas próximas semanas. Séries como “Desperate Housewives” e “Grey’s Anatomy”, que ainda dão audiência ao canal, devem ter mais umas duas temporadas de sobrevida. Se nesse período a ABC não conseguir lançar nenhum drama que substitua essas produções, poderá correr sérios riscos de amargar na audiência como vem ocorrendo com a NBC.

8 comentários:

Anônimo disse...

eu não assitia Twin Peaks então pra mim Happy Town não foi uma decepção... assisti os 2 eps que tiveram e até que achei bom... mas meu gosto pra series não é muito confiável... considerando que eu não gosto de Gossip Girl e essa é uma serie super amada... sei lá!

Yuri C.B. disse...

Bom , eu assisto Happy Town e acho que a série foi feita para ter só uma temporada então a única coisa que espero é que consigam conclui-la só com 8 episódios ou resolvam fazer os x que estiverem faltando para isso . Nunca assisti Twin Peaks e não posso compara-las , mas a série está me agradando e a assistirei até a final !

Sobre Flash Forward :

A audiência pode estar baixa , mas a história está melhorando há cada episódio e se as pessoas continuassem a assisti-la ao invés de ficar criticando sem saber o que se passa , a "situação" seria outra (mesmo caso de Heroes) -.-'

Sobre Gossip Girl :

Anônimo , Gossip Girl é a única série do gênero que não conseguiu me agradar sabe ? Não assisto One Tree Hill , Skins e outras por falta de tempo mas gosto delas . Gossip Girl tem um ótimo elenco mas é uma série totalmente fútil na minha opinião ... Relaxa que você não é o único viu ?

Fernanda Furquim disse...

Critico FlashForward porque assisto. Por força do meu trabalho, preciso ver até o final algumas produções específicas, mesmo não gostando delas.

Quanto a ter ou não assistido a Twin Peaks, não o impede de avaliar o conteúdo da série.

O máximo que posso concluir é que temos níveis de exigências diferentes.

Flávio disse...

Gostei do texto. Muito bem feito. Parabéns pela matéria.

Sobre as séries citadas, tenho em DVD original as 2 temporadas de Twin Peaks. É uma série que marcou época. Se Happy Town (não sei se é exibida no Brasil, pois este site dá mais importância para o que esta passando lá fora) é comparado a Twin Peaks, pode ser que seja uma ótima série. Mesma cancelada, sempre assisto as séries até o final, para ser o que vai acontecer, se vai ter sentido seu desfecho. É o que estou fazendo com Flash Forward. A pior série cancelada na 1ª temporada, e renovada para a 2ª temporada, que vi foi Jericho. Aquilo sim foi um desastre total.

Fernanda Furquim disse...

Obrigada pela participação, Flávio!

De fato, para que possamos formar opiniões, é necessário conferir as séries; essa ainda é a única forma que conheço para saber se uma produção é boa ou ruim, se melhora ou se piora. No mínimo, ver a primeira temporada completa.

Tenho um grande prazer de acompanhar o desenvolvimento de roteiros e personagens, ver a forma como eles se desdobram e os caminhos que os roteiristas tomam para solucionar problemas ou surpreender seu público.

Ao longo dos anos percebi que muitas produções só conseguem deslanchar a partir da segunda temporada, em especial aquelas com narrativas contínuas, visto que a primeira, em geral, serve para introduzir personagens e situações.

Algumas, é claro, não conseguem melhorar, apenas pioram. Aí não dá mesmo para continuar a ver.

Happy Town deve chegar ao Brasil no segundo semestre pelo canal Liv. Segue abaixo o link da matéria:

http://revistatvseries.blogspot.com/2010/03/conheca-liv-novo-canal-da-tv-cabo.html

Moisés disse...

Fernanda, já viu a segunda de Sons of Anarchy? Vi que considerou a primeira apenas uma introdução, como citou no comentário acima, um pouco fraca. Eu discordo um pouco, acho a primeira boa, mas essa última temporada foi excelente.

Fernanda Furquim disse...

oi Moisés! Já consegui ver a segunda de Sons of Anarchy e concordo com você.

Gostei bem mais que da primeira. Achei que o texto foi melhor planejado e desenvolvido, possibilitando maior consistência de personagens e comportamentos.

Estou ansiosa em ver o que eles farão com a terceira temporada! Particularmente com a personagem Gemma, que para mim, é de longe a que tem o melhor desenvolvimento entre os demais!

Anônimo disse...

Não vai ter pausa, no site da ABC, esta que o episódio 1x04 "Slight of Hand" será exibido na proxima quarta 19 de maio.

http://abc.go.com/
http://abc.go.com/shows/happy-town

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.