quarta-feira, 28 de abril de 2010

Conheça Happy Town, Nova Série da ABC

clique nas imagens para ampliar

Esta noite estreia nos EUA a série "Happy Town", produção que está sendo vendida à imprensa como a nova "Twin Peaks". Apesar da referência óbvia, sempre fui contra o uso da comparação como ferramenta de marketing. Elas deviam ser feitas naturalmente, conforme o produto vai se revelando junto ao público desde seu projeto até o resultado final. Usar a comparação para vender séries compromete os novos produtos. Mas, parece que o recente exemplo de "FlashForward" não serviu para nada, ao menos, para a ABC, que continua a fazer referências a séries de sucesso para atrair o interesse a novos programas.

Quem quiser saber que tipo de séries serão produzidas nas próximas temporadas, basta conferirem os temas que fizeram sucesso nas anteriores. Desde o início das transmissões nos anos 40 que a TV busca o sucesso da concorrência ou o próprio, para produzir novos programas na mesma linha. Por isso, quando surge algo que rompe com essa fórmula, a série, se bem feita, se torna rapidamente o novo sucesso de público, que irá gerar derivados.


"Twin Peaks" nunca saiu de moda. A série é o equivalente a "O Prisioneiro", produção inglesa dos anos 60. A revolução televisiva americana promovida por David Lynch e Mark Frost no início da década de 90 fez surgir dezenas ou centenas de outras produções na mesma linha. As mais famosas, até o momento, são "Arquivo X" e "Lost". Agora, surge um novo filhote que dividiu a crítica americana. Ainda é preciso conferir se a série faz jus à sua divulgação, mas críticos americanos não aprovaram a produção, que foi recebida de braços abertos por jornais e revistas que seguem uma linha mais popular. Agora cabe a nós, público, decidirmos o futuro da série.

Tal qual "Twin Peaks", a trama de "Happy Town" está sendo apontada pelos críticos como uma novela noturna cercada de situações misteriosas. A série foi criada por Josh Appelbaum, Andre Nemec e Scott Rosenberg, e narra a história de uma cidade do interior onde ocorre uma vez por ano um sequestro; as vítimas desaparecem sem deixar pistas, resultando em casos sem soluções. Até que, de repente, os sequestros param. Mas, pouco tempo depois, um assassinato com requinte de crueldade ocorre desafiando ainda mais a polícia local.


As investigações são conduzidas pelo Xerife Conroy (M.C. Gainey) e seu auxiliar, que por acaso é seu filho, Tommy (Geoff Stults). Conroy é casado com Rachel (Amy Acker) com quem também tem duas filhas, Emma (Sophia Ewaniuk) e Georgia (Sarah Gadon). Ao contrário de "Twin Peaks", a vítima aqui não era popular, nem tão pouco querida pelos moradores. Muitos na cidade acreditam que a vítima era na verdade o sequestrador que aterrorizou a cidade de Haplin nos últimos sete anos.

O nome da cidade é uma homenagem à família que a fundou. John Haplin (Steve Weber) é um de seus descendentes, considerado o todo poderoso do local. Ele é pai de uma das vítimas de sequestro, que nunca mais foi encontrada. Resta-lhe o filho Andrew (Ben Schnetzer), que secretamente mantém uma relação com Georgia. John é dono da maior fábrica de pães da região mas apesar de sua fama de todo poderoso, é sua mãe Peggy (Frances Conroy) quem realmente domina a cidade.


A história começa com a chegada de Henley Boone (Lauren German), que abre uma loja de velas. Seu objetivo é descobrir a história de sua mãe, que costumava passar as férias na cidade. Ela é recebida por Merritt Grieves (Sam Neill), proprietário de uma loja de souvenirs de filmes de cinema, personagem que também veio de fora.

Foram várias referências apontadas pela crítica americana, entre elas, filmes de Alfred Hitchcock, "Fargo" e a série "Picket Fences", uma das muitas que surgiram na esteira de "Twin Peaks". A presença de referências à cultura popular com certeza ajudará a série a se estabelecer. Resta saber se o desenvolvimento de roteiro e personagens sustentará.


"Happy Town" estreia na midseason americana, por isso tem apenas oito episódios iniciais encomendados. Os títulos são: "In This Home on Ice", "I Came to Haplin for the Waters", "Polly Wants a Crack at Her", "Slight of Hand", "This Is Why We Stay", "Questions and Antlers", "Dallas Alice Doesn't Live Here Anymore" e "Blame It on Rio Bravo".

Também no elenco estão Robert Wisdom, Jay Paulson, Abraham Benrubi, Peter Outerbridge, Warren Christie, Dan Petronijevic, Natalie Brown, Joanna Douglas, Stephen McHattie e Steve Arbuckle.

Veja aqui os primeiros 15 minutos do piloto.
Veja aqui outras fotos e trailer.  



2 comentários:

Rodger Kenzo disse...

Dessas séries derivadas de Twin Peaks, Picket Fences é a melhor. Com humor negro requintado, boas histórias com temas polêmicos pouco comentado nas habituais séries americanas, Picket Fences era uma obra-prima que misturava vários gêneros. Sou muito fã de Picket Fences e espero que Happy Town seja boa mesmo.

Rodger Kenzo disse...

Dessas séries derivadas de Twin Peaks, Picket Fences é a melhor. Com humor negro requintado, boas histórias com temas polêmicos pouco comentado nas habituais séries americanas, Picket Fences era uma obra-prima que misturava vários gêneros. Sou muito fã de Picket Fences e espero que Happy Town seja boa mesmo.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.