segunda-feira, 31 de maio de 2010

Os Três Patetas no TCM


O trio mais biruta da tela nos divertirá hoje com a comédia ...

A partir de julho, a frase favorita dos fãs de comédia pastelão voltará a ser ouvida com a estreia de Os Três Patetas/The Three Stooges no TCM. Esta divertida coleção de gargalhadas começou em 1922 quando os irmãos Moe e Shemp Howard juntaram-se a Larry Fine e Ted Healy e formaram um grupo de teatro vaudeville, o qual primeiramente batizaram de Ted Healy and His Three Southern Gentleman. O nome, mais tarde, mudou para Ted Healy and the Rocketeers e depois para Ted Healy and His Gang. Os esquetes do palco eram como os dos curtas que todos conhecemos e amamos, mas com a diferença que na época, Ted Healy, e não Moe, era o líder do grupo. Eles levaram seu humor pelo país até 1927, quando Larry se afastou para se casar, e Moe, para tomar conta de sua esposa e da filha recém-nascida. Eles só voltaram a se reunir em 1929, quando estrearam na Broadway com a comédia A Night in Venice. Em 1930, os críticos os consideravam hilários.

Larry, Moe, Shemp e Ted Healy

Naquele ano, Ted Healy foi convidado pela 20th Century Fox para fazer o filme Soup of Nuts, que chamou a atenção do estúdio para Moe, Larry e Shemp. Assim, o trio recebeu uma proposta contratual de sete anos. Quando Ted soube da oferta, convenceu Winnie Sheehan, executivo da Fox, a desistir da ideia, pois não queria que o grupo perdesse seus atores. Infelizmente para Ted, quando os três souberam da traição, decidiram abandonar a equipe e juntos formaram o Howard, Fine and Howard – The Three Lost Souls. Nesse período, uma das palhaçadas mais constantes dos curtas teve origem durante um jogo de cartas. Certo de que Larry estava roubando, Shemp levantou-se furioso e enfiou os dedos nos olhos do parceiro. No dia seguinte, durante o espetáculo, Moe repetiu o gesto (sem de fato acertar os olhos) e a plateia estourou de rir.

Outra palhaçada que não apenas tornou-se marca de Os Três Patetas mas também seria repetida em diversas comédias ao longo dos anos (até hoje) é a famosa briga de tortas. No caso do trio, ela começou com uma brincadeira de Moe, que certo dia, teve uma ideia ao ver uma torta no camarim onde algumas dançarinas estavam conversando com outros atores. Ele a pegou e jogou na cabeça de Larry sem que o amigo soubesse de onde o ataque viera. À procura do culpado, Larry logo percebeu risos vindos do camarim. Embora os atores não tivessem a menor relação com o ocorrido, acabaram levando na cara os restos da torta jogada em sua cabeça. Estava declarada a guerra de tortas.

Durante os dois anos que se seguiram ao rompimento do grupo original, Healy fez constantes ameaças ao trio. Foi somente após formar outra equipe que ele deu uma trégua a seus antigos amigos. Ele no entanto tornara-se alcoólatra e relapso no trabalho. Ao saber da situação, Moe decidiu ajudar, prometendo aceitá-lo no grupo se ele prometesse ficar sóbrio. Shemp não concordou, pois considerava Healy um alcoólatra perigoso e incurável. Como havia recebido uma proposta para um filme, Shemp abandonou o trio. Para preencher a lacuna, Moe recorreu a seu irmão caçula, Jerome, mais conhecido na família como Curly, por causa da vasta cabeleira cacheada.

(cliquem para ampliar)

Pouco depois de Curly juntar-se à equipe, Healy expressou insatisfação sobre sua aparência. Larry tinha uma cabeça que lembrava um porco espinho, e o cabelo de Moe parecia uma cuspideira. E o que Curly tinha a oferecer? Uma cabeleira e um bigodão. Não, ele não se encaixava. Para convencê-lo do contrário, Curly pediu 20 minutos. Quando voltou, tinha raspado o bigode. Mas a surpresa mesmo veio ao retirar o boné que cobria sua cabeça. Curly estava completamente careca. Assim mesmo, continuou sendo chamado de Curly quando partiu com a trupe em mais uma turnê de vaudeville.

(cliquem para ampliar)

Além dos espetáculos, eles continuaram fazendo filmes. Entre 1933 e 1934 foram nove comédias de curta metragem para a MGM: Hello Pop, Plame Nuts, Beer and Pretzels, The Big Idea, Turn Back de Clock, Meet the Baron, Dancing Lady, Fugitive Lovers e Hollywood Party. Apesar de atuar com os três, Healy também estava construindo uma bem-sucedida carreira solo. Tanto que, em maio de 1934, Moe observou que Healy não precisava mais do trio, por isso deveria seguir sozinho. Healy e seu agente concordaram de imediato e no mesmo dia o termo de rompimento estava assinado.

A notícia encheu Larry e Curly de preocupação, mas para Moe já estava claro que deveriam deixar de ser os patetas de Healy, para se tornaram Os Três Patetas. O trio teve sua chance horas depois do rompimento de uma forma condizente com o espírito dos patetas. Enquanto Moe deixava o estúdio da MGM, foi abordado pelo agente Walter Kane, que o levou à Columbia Pictures para assinar um contrato. Ao mesmo tempo, Larry também deixava o estúdio e foi abordado por outro agente, Joe Rivkin, que o levou à Universal para assinar outro contrato. O impasse foi resolvido a favor da Columbia, pois como cada contrato registrava o horário em que foram assinados, o que valia era o primeiro, com a Columbia.

(cliquem para ampliar)

O filme de estreia foi a comédia musical Odeio Mulheres/Woman Haters, no qual não figuraram como trio e sim separadamente. Em seguida, veio Trocando as Pernas/Punch Drunks e um almejado contrato de sete anos, com um salário considerado muito bom. Na época, o acordo pareceu excelente. Infelizmente, eles não perceberam que a Columbia ficara com o direito de usar suas vozes e imagens tanto nos meios de comunicação existentes quanto nos futuros. Por isso, quando seus curtas foram para a TV, eles não receberam nenhum pagamento pela apresentação.

Moe tentou recorrer, mas, anos depois, quando Ronald Reagan tornou-se presidente do Screen Actors Guild, ele estabeleceu que não seria pago nenhum valor aos atores de filmes sendo apresentados na televisão, produzidos antes de 1960, e isto encerrou a questão.

A Columbia também tinha uma tática para evitar que o trio pedisse aumento de salário, que era 7.500 dólares por filme. O estúdio sempre relatava uma crescente dificuldade na venda de seus filmes aos cinemas, alegando a falta de interesse do público nos patetas. Anos mais tarde, Moe descobriu exatamente o contrário. Os filmes de Os Três Patetas sempre tiveram muita procura por todo o país, mas toda vez que alguém solicitava um filme deles, era forçado a levar outro classe B.

Ao final dos sete anos, eles ainda descobriram que o contrato com a Columbia dava ao estúdio o direito a mais 14 anos. Eles só ficariam livres em 1958, após 24 anos sob contrato. Neste período, eles fizeram 194 curtas e participaram de cinco longas, sendo indicados a um Oscar pelo curta As Coisas Estão Pretas/Men in Black.

Este período também foi marcado por mudanças. Dia 14 de maio de 1946, Moe e Larry estavam filmando as últimas cenas de Três Idiotas de Elite/Half-Wit’s Holiday (refilmagem de Gentalha/Hoi Polloi), quando perceberam que Curly havia sofrido um derrame enquanto esperava ser chamado em cena. Por seis anos, ele permaneceu doente e teve outros derrames, até falecer em janeiro de 1952, aos 48 anos.

A princípio, Moe e Larry acharam que seria impossível substituir o talento de Curly. Mas então Moe lembrou-se do irmão Shemp e imediatamente apresentou a ideia à Columbia. Como o estúdio achava Shemp muito parecido com Moe, a mudança não foi aprovada. Moe insistiu, afirmando que sem Shemp a Columbia não teria mais nenhum pateta, e eles finalmente concordaram. Shemp reestreou no grupo com o curta Marmelada Indigesta/Fright Night (1947). Os Três Patetas estavam de volta à cena, mas cada palhaçada feita com Shemp, como os tapas ou os dedos nos olhos de Curly, traziam tristes recordações a Moe. Curly ainda apareceu no filme seguinte, Segurem o Leão/Hold That Lion (1947), como um passageiro dorminhoco em um trem. Este foi o único filme em que os três irmãos, Moe, Shemp e Curly, trabalharam juntos.


Shemp divertiria as plateias até 1955. Dia 23 de novembro daquele ano, ele saiu com amigos para uma luta de boxe, durante a qual se divertiu muito e arrancou gargalhadas de todos a sua volta, que assistiam tanto às lutas quanto a suas engraçadas reações aos golpes. Mais tarde, ao voltar para casa, ele contava piadas, quando de repente sua cabeça caiu sobre o peito, depois ele a encostou no ombro de seu amigo, fechou os olhos, sorriu e morreu. Seu último filme foi Mar e Azia/Commotion on the Ocean. Shemp tinha 50 anos.


A notícia foi um choque muito grande para Moe. Durante semanas ele sentiu-se sozinho e frustrado, e pensou em desistir dos patetas. Sua esposa, Helen, e Larry, no entanto, insistiram que continuasse, pois sabiam que se Moe parasse, ele também não viveria por muito tempo.

Novamente encorajado, Moe tentou obter Joe DeRita para o grupo, mas, como ele estava sob contrato com o produtor Harrold Minsky, Moe teve de continuar a busca. Logo ele lembrou-se de Joe Besser, que adorou o convite. Após Moe conseguir liberá-lo de um compromisso com a Columbia, Joe estreou como pateta em Apenas um Trote/Hoofs and Goofs (1957), divertindo o público com seu bordão "Isso dói!" até o final do longo contrato dos patetas com o estúdio.


Com a carreira no cinema aparentemente acabada, os patetas decidiram sair em turnê. Porém, Joe não poderia seguir com eles porque sua esposa estava doente. Felizmente, o contrato de Joe DeRita estava prestes a terminar e o comediante estava ansioso para juntar-se aos patetas. Assim, Moe, Larry e o novo pateta, batizado de Curly-Joe, saíram em viagem pelo país apresentando-se em clubes e feiras. Mas os tempos eram outros e o teatro de vaudeville estava morto.

Quando parecia que o tempo dos patetas também tinha acabado, Moe ficou sabendo que a Screen Gems, uma subsidiária da Columbia, estava reaproveitando os velhos curtas dos patetas em versões para TV. De repente, o trio tornou-se um fenômeno entre as novas gerações que ainda não os conheciam.

Os Três Patetas passaram a ser requisitados por todo o país, com inúmeras ofertas para fazer quadrinhos, discos, feiras, e aparecer em programas de TV, como o prestigiado The Ed Sullivan Show, programa de variedades de maior audiência na época. Após anos à espera de uma oportunidade para estrelar um longa metragem, a oferta finalmente veio da própria Columbia em 1959 com o filme O Foguete Errante/Have Rocket Will Travel.


Vendo o crescente sucesso do trio, a Columbia ofereceu um novo contrato para mais longas, mas agora eles já haviam criado sua própria empresa, a Normandy Productions, com Harry Romm, agente de Moe, através da qual passariam a produzir seus próprios filmes. A Columbia então montou um longa com velhos curtas e o lançou sob o título de Look and Laugh. Em resposta, o grupo abriu um processo e conseguiu não apenas retirar o filme de cartaz, mas também um financiamento para o filme Os Três Patetas Encontram Hércules/The Three Stooges Meet Hercules (1962). No total, foram nove filmes com Moe, Larry e Curly-Joe.


Com Adam West em
Os Reis do Faroeste/The Outlaws is Coming
(cliquem para ampliar)


Em 1971, Moe, Larry e Joe DeRita estavam planejando fazer um seriado para a TV, quando Larry sofreu um derrame, que o colocou em uma cadeira de rodas e o forçou a viver no Motion Pictures Country Home Hospital. Depois do ocorrido, Moe sabia que os patetas tinham chegado ao fim. Assim, Joe DeRita pediu permissão para formar um novo grupo, com o qual, infelizmente, não fez muito sucesso.

Após o falecimento de Larry em janeiro de 1975, aos 72 anos, Moe decidiu aposentar-se como pateta. Pouco depois, ele recebeu um convite para fazer uma palestra na faculdade Salem College, em West Virginia. A viagem que foi na verdade motivada pelo desejo de visitar seu filho o surpreendeu com a grande recepção do público, que ainda amava os patetas e desejava saber tudo sobre eles. Assim, mais palestras tiveram lugar em universidades pelo país, e em alguns programas de TV. Moe Howard só parou de divertir as plateias em maio de 1975, quando faleceu vítima de câncer, dias antes de completar 78 anos.

O trio mais biruta da tela (que de tão biruta teve seis e não três patetas) chegou a nós com dublagem da AIC, através da qual eles ficaram ainda mais hilários. Moe foi dublado por Borges de Barros; Larry, por Hélio Porto (e Flávio Galvão em alguns episódios); Curly, por Samuel Lobo; Shemp, por José de Freitas, seu irmão Antônio de Freitas e José Soares; e Joe Besser, por César Leitão.


José de Freitas


Antônio de Freitas

Chorem de rir com Os Três Patetas de segunda à sexta às 8h, sextas às 19h, sábados às 11h e 3h, e domingos às 11h, a partir de julho.

Texto com base em matéria publicada na revista TV Séries
Ano II, nº 15, setembro de 1998.

5 comentários:

Alfonso disse...

A história dos Três Patetas é sensacional. Parece que vai rolar um filme sobre eles mas não sei como anda o projeto.

A dublagem brasileira também foi marcante. O mais estranho é que acabávamos NÃO associando a voz do Borges de Barros com a do Dr. Smith (de Perdidos No Espaço) quando assistíamos Os Três Patetas.

Mas o mais impressionante foi o trabalho do Samuel Lobo dubladno Curly que, na prática, foi um gênio da comédia. O que Samuel Lobo fez foi simplesmente realçar ainda mas virtudes e a genialidade de Curly...Dá pra dizer que era algo quase inexplicável e sobrenatural essa simbioses Curly\Samuel Lobo...

Uma curiosidade: no filme Foguete Errante, o ator Robert Colbert ( o Doug Philips de O Túnel do Tempo) faz uma rápida participação como ...um cientista (!!!)....

Fran disse...

Muito legal o texto...eu tenho um bio dos 3 patetas de um fanzine antigo que está bem parecida, mas esta é mais completa...
Parabéns meninas..
Beijos
Francesco

Anônimo disse...

Nossa, Fernanda, parabéns pelo trabalho. Incrível sua riqueza de detalhes.
Mas fica a pergunta: você apenas trabalha com séries? Pois me pergunto como consegue ter tempo para pesquisar tanto e profundamente sobre um tema.
abraços e continue.

David Enoch disse...

Parece que vai rolar um filme sobre eles mas não sei como anda o projeto.

Alfonso, pelo que eu sei já houve um filme de TV sobre Os Três Patetas, feito em 2000. Muito bom filme. E agora querem fazer (sic) não um filme sobre eles e sim um remake. Mais um absurdo completo... isso não tem graça... rs.

A dublagem do Curly (e mais a do Don Adams, Agente 86) beiram a perfeição sem dúvida nenhuma.

Rodger Kenzo disse...

Adorei a matéria. Acho que tem informação que não havia sido publicado na revista TV Séries. Desde criança sempre fui fã dos patetas.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.