domingo, 20 de junho de 2010

As Confissões de Alison Arngrim


No dia 17 de junho postei aqui a informação de que Alison Arngrim, intérprete da Nellie Oleson em "Os Pioneiros", lançou sua autobiografia. Na época da postagem, as informações que existiam era apenas aquelas que a própria atriz divulgava em entrevistas para televisão e para os jornais. Mas hoje, uma matéria sobre o livro publicada no jornal Chicago Sun Times me fez correr atrás de maiores informações, pois não acreditei no que lera. Minhas pesquisas me levaram a encontrar trechos do livro disponíveis na Internet e conferir a informação divulgada pelo jornal.

Nas entrevistas em que divulga seu livro "Confessions of a Prairie Bitch: How I Survived Nellie Oleson and Learned to Love Being Hated", Alison revela ter sido vítima de abuso sexual praticado por um membro de sua família. A primeira pessoa em que pensamos é no pai, ou talvez um tio. Mas, em seu livro, Alison revela que o pai, Thor Arngrim, era gay. Casado com Norma McMillan (dubladora de personagens como Gasparzinho e Gumby, nos anos 60), Thor era agente de Liberace, Debbie Reynolds, Susan Anton, Peter Jurasik e Michael Ontkean. O pai de Alison faleceu em 2009 e sua mãe em 2001. O único membro de sua família que sobrou foi o irmão Stefan Arngrim (o Barry de "Terra de Gigantes"), que hoje vive no Canadá.

Alison e o irmão Stefan por volta dos anos 80

No capitulo quatro de seu livro, intitulado "Something's Gotta Give", página 41, a atriz revela que foi molestada por seu irmão, Stefan, que começou a ter relações com Alison quando ela tinha seis anos de idade (na época ele tinha 13 anos). A situação se manteve até a época em que Alison fez 11 anos (e ele 20), período em que ela entrou para o elenco de "Os Pioneiros".

Em seu livro, Alison revela que o abuso infantil até o início dos anos 70 não era considerado crime grave, sendo que a polícia dava pouca atenção para esses casos, especialmente quando praticado entre familiares. Somente em 1974, quando o Congresso Americano aprovou uma lei, Child Abuse Prevention and Treatment Act, é que a situação mudou. Nessa época, Alison já tinha 12 anos, trabalhava na série e fazia terapia. Somente quando fez 20 anos é que a atriz teve coragem de contar a verdade aos pais; agora, com 48 anos, revela sua história ao público.

2 comentários:

Rubens disse...

Pra mim esta historia está mal contada... Eu conheço um monte (pelo menos duas dezenas) de casos envolvendo relacoes entre menores, e o fato é que todos tiveram prazer na epoca (nos casos que eu conheço). Nada feito com violencia, como se gosta de apresentar nos filmes. Simplesmente rola.

Entre os casos que eu conheco (de pessoas que conheci), teve um que era irmão e irmã, e me foi contada exatamente pela irmã (ja adulta). Foi totalmente consensual. Antes, ela ja havia passado por uma experiencia de um "amigo do pai" (nao sei se ela estava protegendo a identidade de alguem) que dormia na casa dela as vezes e ia "visita-la" em seu quarto durante a noite quando ela era crianca -- e ela nunca ficou traumatizada com isso. Com o irmao entao, era consensual.

Enfim, o que eu quero dizer é que as pessoas CURTEM isso na epoca, nada foi feito com violencia, elas concordaram e gostaram, como uma experiencia para descobrir seu corpo. Em alguns casos, ate mesmo se ofereceram sexualmente.

Aí vem a historia dessa atriz. CINCO ou SEIS anos rolando com o irmao, e so agora ela vem insinuando que foi abusada, que nao gostou tambem? Ahhh, conta outra... Pra mim essa "confissao" é apenas efeito de anos da moral americana sobre a cabeça dela, que condena qualquer forma de sexo fora de um casamento. Aí ela resolveu que era vitima...

Mas eu nao acredito muito nessa historia de vitima, nao... :-)

Livia Almeida disse...

Por causa de comentários assim que muitas pessoas ficam sem falar nada. Eu não critico por que entendo as razões dela em ficar calada na época. A criança quando não é instruída pelos pais e não tem intimidade o suficiente para conversar sobre esses assuntos fica com medo de falar e ser rejeitada, ela falou para os pais quando tinha 20 anos por que com certeza se sentiu mais segura em falar sobre o assunto. Eu entendo completamente. E esse irmão brincou com a ingenuidade dela, por mais que na época ela pudesse ter consentido, eu não sei, mas ele não tinha o direito de ter feito isso com ela. Isso é monstruosidade.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.