sábado, 29 de maio de 2010

Dennis Hopper (1936-2010)

Dennis Hopper e seu auto-retrato

Ator de cinema, TV e teatro, que estrelou a série "Crash", faleceu na manhã de hoje em sua casa, aos 74 anos, vítima de câncer da próstata.

Dennis Lee Hopper nasceu no dia 17 de maio de 1936 em Dodge City, Kansas. Iniciou carreira artística ainda na adolescência estreando como ator profissional em participações em teleteatro e séries de televisão. Foram mais de 140 episódios de séries, entre elas "Médico", "Defensor Público", "Cartas para Loretta", "Cheyenne", "O Homem do Rifle", "Cidade Nua", "Além da Imaginação", "Os Defensores", "Espionagem", "Culpado ou Inocente?/Arrest and Trial", "Bonanza", "Gunsmoke", "Combate" e "Big Valley", entre outras.


O ator chegou ao cinema ainda na década de 50, atuando em filmes como "Juventude Transviada", "Assim Caminha a Humanidade", "A História da Humanidade", entre outros. Amigo de James Dean, após a morte deste, Hopper assumiu sua postura rebelde diante da comunidade de Hollywood, tentando preencher a imagem criada pelo amigo. Essa atitude, aliada à sua técnica de improvisação, que forçavam a refilmagem de cenas, fez com que Dennis se tornasse pessoa não grata. A partir de então ele passou a trabalhar em filmes classe B.

Dennis encontrou refúgio na televisão para a qual retornou fazendo participações especiais em séries de TV. Sua primeira tentativa de voltar ao cinema de primeira linha foi em "Os Quatro Filhos de Katie Elder/The Sons of Katie Elder", de 1965. Apesar do filme ser estrelado por John Wayne, outro ícone da sétima arte, Hopper não conseguiu reavivar sua carreira, voltando para os filmes classe B e produções independentes com temáticas psicodélicas, incluindo a versão cinematográfica da série "Monkees", que recebeu o título de "Head", em 1967, no qual fez figuração.


Sua presença nesse tipo de produção fez com que o ator adotasse uma nova linha interpretativa e criasse amizades com profissionais que tomariam conta da produção cinematográfica na virada da década. Em 1968 ele atuou ao lado de Peter Fonda, outro ator considerado 'rebelde sem causa', no filme "Sem Destino/Easy Rider", produção que o elevou ao patamar mais alto da comunidade da contracultura. Apesar do sucesso, existem informações de que os bastidores de produção foram conturbados, em especial em função de Dennis que na época seria usuário de drogas e alcoólatra. Após o lançamento do filme, o qual também dirigiu com base em roteiro assinado por ele e por Fonda, os atores entraram novamente em conflito na disputa pela participação dos lucros.

Ao longo dos anos 70, Dennis manteve sua carreira atuando em filmes independentes, tanto nos EUA quanto na Europa. O filme mais conhecido de sua carreira nesse período foi "Apocalipse Now", de 1979. O ator voltaria à nata de Hollywood em 1986, com o filme "Blue Velvet", de David Lynch.

Dennis com Isabela Rossellini em "Blue Velvet"

Em 2002, estrelou sua primeira série de TV, "Flatland", cancelada com apenas oito episódios. No mesmo ano, esteve no elenco da primeira temporada de "24 Horas". Entre 2005 e 2006, tentou estrelar uma nova série, "E-Ring", também cancelada em sua primeira temporada. Sua última tentativa de emplacar na televisão também foi seu último trabalho como ator. A série "Crash" estreou em 2008, sendo renovada para uma segunda temporada. Após a produção dos episódios do segundo ano, o agente de Dennis divulgou à imprensa que o ator se afastaria da vida pública para submeter-se a um tratamento contra o câncer de próstata.

Em paralelo à carreira de ator, especialmente quando os trabalhos eram escassos, Dennis dedicou-se à arte da fotografia, tornando-se um fotógrafo profissional respeitável. Entre os trabalhos que teve nessa área estão as capas de álbuns de vários artistas famosos da época, incluindo Ike e Tina Turner. Dennis também era pintor, poeta e colecionador de arte pop.


Dennis casou-se em 1961 com Brooke Hayward, com quem teve uma filha, divorciando-se em 1969. Em 1970, casou-se com a atriz e cantora Michelle Phillips, que foi integrante do grupo "The Mamas and the Papas". Michelle pediu o divórcio uma semana depois acusando o ator de violência doméstica e dependente de drogas. Entre 1972 e 1976, foi casado com Daria Halprin, com quem teve uma filha; entre 1989 e 1992, casou-se com Katherine LaNasa, com quem também teve um filho. Em 1996, casou-se com Victoria Duffy, com quem teve uma filha.

Seu vício o levou a protagonizar vários atos que beiravam à loucura, seguidos de uma longa ausência de Hollywood. Em geral, o ator refugiava-se no México onde passava semanas, meses ou anos. Em 1983, Dennis teria procurado pela primeira vez um centro de reabilitação.

Dennis e a última esposa, Victoria

Em setembro de 2009, Dennis foi levado às pressas a um hospital de Nova Iorque onde foi liberado horas depois. O diagnóstico teria sido desidratação. Em outubro do mesmo ano, foi anunciado ao público sua real situação. Em janeiro de 2010, foi comunicado à imprensa que o tipo de câncer que o ator tinha era incurável.

A partir desse momento, o ator passou a protagonizar uma sequencia de escândalos em relação à sua esposa, Victoria Duffy. Em janeiro desse ano, Dennis entrou com um pedido de divórcio acusando a esposa de maus tratos. Como resultado, ele conseguiu uma ordem de restrição contra Victoria, que estava proibida de chegar perto dele. Mas, inicialmente, a esposa se recusou a deixar a casa que dividia com o marido. Quando o fez, Dennis a acusou de levar com ela mais de 1.5 milhões de dólares em arte.

Já bastante debilitado, Dennis fez uma de suas últimas aparições em público no mês de março, quando recebeu sua estrela na Calçada da Fama.

Nenhum comentário:

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.