sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Esta noite a TV americana exibe o último episódio da série "Monk", produção que estreou em 2002 e ficou em "cartaz" por oito anos. Exibida originalmente pelo USA Networks, no Brasil ela é vista pelos fãs através do canal a cabo Universal. A série também passou pela Rede Record e já saiu em DVD, sendo que a última temporada está prevista para chegar às lojas entre fevereiro e março de 2010 (confira nossa lista de lançamentos).

Sofrendo de fobias, a série "Monk" traz um detetive que era da polícia até sua esposa ser morta. A partir de então ele intensificou suas manias compulsivas a ponto de ter que se afastar do trabalho. Mas Monk tem uma incrível capacidade de dedução, o que o leva a ser chamado como assistente em vários casos policiais, além de atuar como detetive particular.

A série surgiu da idéia de David Hoberman, da rede ABC, de ter um programa estrelado por um personagem ao estilo do Inspetor Closeau. Era para ser estrelada por Michael Richards, o Kramer de "Seinfeld", que recusou a oferta. Andy Breckman entrou na história para desenvolver melhor o projeto. Fã de Sherlock Holmes e "Columbo", Breckman criou "Monk". Mas sem Richards na série, a ABC resolveu não apostar no programa e muito embora fosse produzida pela ABC Studios, o canal abriu mão da série. Oferecida ao USA Networks, que pertence à NBC Universal, "Monk" se tornou uma das primeiras séries originais a ser exibida pelo canal a cabo.

Até então este canal dedicava-se a reprisar séries geralmente produzidas pela NBC, como "Lei & Ordem", por exemplo. Com a chegada de "Monk" e seu repentino sucesso, o canal decidiu investir na produção de séries próprias, tornando-se famoso como um canal a cabo produzindo séries leves típicas da programação da TV aberta. Assim, "Monk" abriu as portas para séries como "Burn Notice", "Psych", "White Collar", "Royal Pains" e "In Plain Sight", entre outras.

Em meio a sucessos da época como "Sex and the City", "A Família Soprano", "A Sete Palmos", e "The Shield", a série "Monk" conseguiu se destacar na programação da TV a cabo, levando a ABC a negociar reprises da série em sua grade. Voltada para toda a família, "Monk" resgatou elementos perpetuados pelas séries clássicas do gênero. Seu sucesso provou que um programa original da TV a cabo não precisava, necessariamente, trazer a intensidade de roteiros e personagens que estavam sendo desenvolvidos por canais como HBO e Showtime.

Com certeza não foi fácil escolher um ator que pudesse retratar o personagem imaginado originalmente para Michael Richards. Vários nomes foram cotados, entre eles Dave Foley, de "Newsradio", John Ritter, de "8 Simple Rules", Henry Winkler, de "Happy Days", Stanley Tucci, de "Crime em 1º Grau", Alfred Molina e Tony Shalhoub.

Sharona e Natalie

O três últimos ficaram na disputa final pelo personagem, sendo que Shalhoub ganhou o papel porque os outros dois, Tucci e Molina, já estavam com a agenda cheia. Com receio de ficar preso à uma série e à um personagem, Shalhoub só aceitou interpretar Monk mediante um contrato de curta duração. Mas, depois que a série fez sucesso e as indicações a prêmios começaram a aparecer, ele aceitou contratos mais longos e acabou ficando por oito anos.

Em 2005 a série sofreu a perda de uma de suas personagens principais. Sharona, assistente de Monk, decide voltar com o ex-marido, com quem ela e seu filho vão morar em New Jersey. A saída da personagem se deve à disputa de contrato entre os produtores e a atriz, Bitty Schram. Sem conseguirem chegar a um consenso, Schram deixou a série, sendo substituída por Traylor Howard, intérprete de Natalie Teeger, nova assistente de Monk. No entanto, Schram retornou em participação especial na quinta temporada da série.

Stamley Kamel, Traylor Howard e Tony Shalhoub

Outra perda sentida foi a do Dr. Charles Kroger, que embora não aparecesse em todos os episódios, era um personagem essencial para a trama. Monk precisou trocar de psiquiatra em função da inesperada morte do ator Stamley Kamel, que faleceu em 2008 vítima de uma parada cardíaca. Em seu lugar entrou Hector Elizondo, que interpreta o Dr. Nevem Bell.

Ao longo da série foram inúmeras as participações especiais que ficaram na lembrança dos fãs, tanto de atores como de personagens, como o irmão de Monk, Ambrose (John Turturro); Dale Biederbeck, arqui-inimigo de Monk, intepretado por três atores, Adam Arkin, Tim Curry e Ray Porter; ou Harold Krenshaw (Tim Bagley), outro rival de Monk, mas desta vez como paciente do Dr. Kroger.

Comemoração do 100º episódio

Em agosto de 2009, já tendo sido divulgado o final da série para dezembro, o canal USA lançou uma spinoff na Internet com 10 websódios de "Little Monk", que apresenta a infância de Adrian e seu irmão Ambrose Monk. Agora, a série chega ao fim após oito temporadas e 125 episódios. Na história final, Monk finalmente descobre a verdade sobre a morte de sua esposa.

Exibida no Brasil pelo canal a cabo Universal em sua versão original, a série chegou à TV aberta via Rede Record, na qual ganhou uma dublagem brasileira. Feita pela Herbert Richers, com tradução de Cláudio Sarmento Conilho e direção de Hélio Ribeiro, a série teve as vozes de Hamilton Ricardo (Monk), Carla Pompillo (Sharona), Luiz Carlos Persy (Capitão Stottlemeyer), Alexandre moreno (Tenente Disher) e Charles Emmanuel (Benjy). Esta dublagem está disponível nos DVDs.

Com o fim da série o ator Tony Shalhoub já está se envolvendo em um novo projeto. Trata-se de uma peça de teatro na qual irá estrelar ao lado de sua esposa a atriz Brooke Adams (que teve participação na série). Curiosamente, a peça "Lend Me a Tenor" será dirigida por Stanley Tucci, com estréia prevista para abril de 2010 em Nova York.

Adendo: o canal USA exibiu uma maratona da série no último domingo, antecedendo o final de "Monk". Durante a maratona, mais de 25 mil fãs enviaram mensagens de despedida à série, somando uma média de 33 mil mensagens. Algumas chegaram a aparecer no rodapé da tela da TV durante a exibição dos episódios graças ao sistema Text-to-TV, existente nos EUA. Já o último episódio gerou manifestações de fãs no Twitter, colocando "Monk" em destaque entre os temas mais discutidos no microblog.

Confira abaixo comercial especialmente produzido pelo USA para a despedida de "Monk", e reveja um video divulgado em julho deste ano no qual os demais personagens das séries do canal comentam o que acham de Monk.



4 comentários:

emerson_melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
emerson_melo disse...

VAI DEIXAR MUITA SAUDADE É MAS UMA GRANDE SÉRIES QUE SE ACABA!!

luly* disse...

Ah! Puxa vida, meu coração tá na mão! É tão chato quando uma grande série termina, por mais que tenha um final, por mais que não seja tão perfeita quanto antes, por mais que tenha chegado a hora certa. Não tem jeito mesmo! Só de pensar em nunca mais ver Adrian Monk, me deixa triste!

Essa foi uma das minhas primeiras séries favoritas, junto com CSI. Vi pela Record tbém e adorei! Depois tiver de ficar vários anos esperando, até poder acompanhá-la novamente pelo Universal Channel. Mas um dia ainda vou descolar toda a coleção de dvds, pra sempre poder ver e rever!

Acho que Tony Shalhoub foi excepcional nesse personagem, e por mais que os outros concorrentes tbém sejam talentosos, não imagino outro como Monk! Estou ansiosa para ver o desfecho do misterio da morte de Trudy!

P.S. outra participação famosa na série foi de Sarah Silverman, como aquela super fã do Monk, Marci! Um barato, tinha website e até musiquinha!!

aspen-bh disse...

É a pior notícia televisiva do ano, o final de Monk. Felizmente, comprei os DVD's de todas as temporadas (falta apenas a última), para poder continuar me divertindo.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.