segunda-feira, 10 de maio de 2010

Novos Projetos e Pilotos - Parte 32

A versão original dos anos 60

O lote de pilotos para concorrer a uma vaga na próxima temporada já está fechado na TV aberta, mas os canais a cabo, que não seguem o mesmo cronograma, continuam divulgando o desenvolvimento de novos projetos. Entre eles o canal SyFy que está com três novos projetos os quais resgatam personagens clássicos da televisão americana e inglesa, além de personagens dos quadrinhos.

O primeiro é um remake de uma série clássica inglesa chamada "Randall & Hopkirk (Deceased)". Produzida nos anos 60 pela ITV Studios, a história girava em torno de Hopkirk, um detetive morto durante o serviço, que volta como fantasma para ajudar seu antigo parceiro, Randall, a resolver seus casos policiais.Apenas Randall pode vê-lo e ouvi-lo, o que provoca algumas situações embaraçosas, especialmente na presença de Jeannie, viúva de Hopkirk, que trabalha como secretária na agência de detetives do falecido marido.

Segunda versão da série inglesa

A série foi exibida entre 1968 e 1969, com apenas uma temporada de 26 episódios, mas ao longo dos anos, com as reprises, se tornou um cult. Criada por Dennis Spooner, um dos roteiristas de "Doctor Who", a série ganhou um remake pela BBC entre 2000 e 2001 com duas temporadas, totalizando 13 episódios (6 e 7, respectivamente). Além disso, o conceito foi reutilizado inúmeras vezes em séries e filmes ao longo dos anos. Josh Bycel, de "Scrubs", e Jonathan Fenner, de "American Dad", foram contratados para escreverem o roteiro do episódio piloto para avaliação. A produção será da Jaffe/Braunstein Entertainment

O segundo projeto do SyFy é "Metadocs", criado por Michael Chernuchin, de "Lei & Ordem", com produção da Landscape Entertainment, em parceria com a Fremantle Media e a Universal Cable Prods. A história gira em torno de uma equipe médica composta por cirurgiões e enfermeiros, a qual tem como missão tratar de super-heróis feridos durante suas batalhas para salvar a Terra. O projeto tem como base uma história em quadrinhos publicada pela Antartic Press.


Já o terceiro projeto é "Me & Lee", originalmente desenvolvido para a Fox em 2007, que agora foi resgatado pela NBC Universal em parceria à Lionsgate e oferecido ao SyFy. O enredo da série é meio estranho, para dizer o mínimo: Lee Majors, o ator que interpretou Steve Austin, "O Homem de Seis Milhões de Dólares" na série dos anos 70, dedica-se a tentar reproduzir a tecnologia que transformou seu personagem em um homem biônico. Assim, ele constrói no porão de sua casa um laboratório no qual faz experiências com um desempregado, Joel Salsberg, substituindo partes de seu corpo em membros biônicos,...pois é! Criado por Matthew Salsberg e Jenji Kohan, ambos de "Weeds", o projeto poderá ter um piloto a ser estrelado por Majors e Jamie Kennedy nos papéis principais, e direção de Paul Dinello.

Outro projeto que trata de biônicos é o piloto encomendado pela Disney. O título é "Billion Dollar Freshmen", criado por Mark Brazill, Chris Peterson e Bryan Moore, de "That '70s Show". O projeto gira em torno de dois irmãos adolescentes que escondem suas verdadeiras identidades: frutos de uma experiência militar, os dois são soldados que tiveram tecnologia biônica implantadas em seus corpos. Tendo fugindo das instalações militares, eles passam a viver em meio a civis, frequentando a escola, tentando manter vidas normais.

A Disney também prepara "Kicking It", criado por Jim O'Doherty, de "3rd Rock from the Sun", que gira em torno de uma Escola de Artes Marciais.

Pelo canal Lifetime está em desenvolvimento uma spinoff de "Army Wives", que irá girar em torno da personagem Pamela (Brigid Brannagh). Na história, Pamela, ex-esposa de um oficial da Força Delta, volta a trabalhar como detetive da polícia em Charleston, na Carolina do Sul. O projeto está nas mãos de Bruce Zimmerman e T.D. Mitchell, roteiristas de "Army Wives", com produção de Mark Gordon pela ABC Studios.

Brigid Brannagh

Outro canal que divulgou uma lista de vários projetos em desenvolvimento é o A&E. Entre os projetos de novos reality shows, existem quatro que são séries de TV roteirizadas. Todos ainda com títulos provisórios, ou nomes de referências. O primeiro é "Criminology", que segue a linha de "Lie to Me". A história gira em torno de Sarah O'Rourke, uma professora de psicologia de uma pequena universidade, especialista no comportamento da natureza humana; assim, ela consegue determinar se uma pessoa está mentindo ou falando a verdade. Sarah se une a John Acer, um detetive da polícia, com quem passa a solucionar alguns casos policiais. Escrita por W. Blake Herron, a produção é de David W. Zucker, em parceria com os irmãos Ridley e Tony Scott, que também foram os produtores de "Numb3rs", série que segue a mesma linha narrativa, mas ao invés de utilizar o estudo da natureza humana, se apóia nos cálculos matemáticos para solucionar crimes.

O segundo é "Big Mike", um detetive obeso que trabalha para a polícia de San Diego. Amigos de todos, tendo os melhores contatos da cidade, consegue resolver a maioria de seus casos, conquistando o respeito dos demais colegas. Mas, dependendo da situação, Mike pode se tornar o pior inimigo de alguém. A única situação com a qual ele não consegue lidar é com sua vida amorosa. O projeto foi criado por Ed Decter e John Strauss, que terá produção da Sony Pictures Television. O enredo lembra uma série dos anos 70 chamada "Cannon", estrelada pelo ator William Conrad. Na história, Cannon deixa o serviço policial após a morte da esposa e do filho em um acidente de carro, passando a trabalhar como detetive particular.

O terceiro projeto do canal A&E é "American Crime", criado por Diana Son e Tanya Wexler, com produção de Mark Gordon e Deb Spera, pela ABC Studios. A história gira em torno de dois agentes do FBI, um homem e uma mulher, que são enviados para o interior com o objetivo de auxiliar a polícia local. Mas, o que parecia ser apenas casos corriqueiros, se revelam 'portas de entrada' para as complicadas diferenças sociais e culturais americanas. Investigando casos que vão da atitude passional de seres frustrados, passando por atos isolados de massacres em escolas, chegando à tentativas de se implantar uma comunidade ariana, os dois logo descobrem que precisam muito mais que apenas o treinamento do FBI para resolver situações de vida e morte.

O quarto e último projeto do canal que está em desenvolvimento é "Hazel Rhodes", criado por Daniel Cerone, de "Dexter", também pela ABC Studios. A história gira em torno de uma detetive da polícia de Nashville. Uma espécie de Erin Brokovitch, Hazel, tem a aparência de uma mulher que gosta de uma boa farra, mas na verdade é a melhor detetive do departamento, que não pensa duas vezes para conseguir evidências para resolver seus casos. A estrutura narrativa deverá seguir a mesma celebrada por "Columbo", ou seja, o criminoso é revelado logo no início de cada episódio, restando descobrir como Hazel será capaz de identificá-lo e provar sua culpa.

A figura de Jesus na versão de "South Park"

O Comedy Central também divulgou uma lista de 22 projetos em desenvolvimento, entre reality shows, humorísticos, séries e desenhos animados. Entre as séries estão "Rich Dicks", criada por Jon Daly e Jon Krisel, com base em uma esquete apresentada no programa "Funny or Die". A história gira em torno de dois rapazes que se envolvem com suas babás. Tem também uma versão moderna de "Um Estranho Casal/Odd Couple", que terá roteiro de Kevin Hart. Lembrando que "Two and a Half Men" já é uma versão da série dos anos 70, a qual tem como base um filme e uma peça de teatro criada por Neil Simon. Outros projetos são "A-Holes", sobre dois rapazes que adoram manter o típico comportamento de um 'estraga festa'; "Mars", sobre o dia-a-dia de uma equipe que trabalha em uma estação espacial em Marte; e "Nocturnal Mission", sobre um alienígena (Chris D'Elia) enviado à Terra para salvar a humanidade; "Big Lake", com Chris Gethard, que interpreta Josh, um desempregado que dorme no sofá da casa dos pais.

Mas, o projeto que mais chamou a atenção da imprensa americana foi "JC", série animada que irá narrar a tentativa de Jesus Cristo em fugir da sombra do 'pai', com o objetivo de viver uma vida normal em Nova Iorque. A imprensa questionou a validade do programa que surge na esteira de um conflito provocado pelo desenho "South Park".

Recentemente o canal precisou censurar um dos episódios da série animada, por fazer referências negativas ao profeta Maomé. Representantes do canal, bem como os roteiristas da série animada, chegaram a receber ameaças de morte caso o episódio fosse exibido. A imprensa americana chegou a divulgar que um carro bomba, encontrado recentemente na região da Times Square, próximo aos escritórios da Comedy Central, poderia estar ligado às ameaças relacionadas à série. Ainda é cedo para saber como será desenvolvida a série "JC", mas com certeza será uma das principais atrações do canal, caso ela 'consiga ver a luz do dia'.

Nenhum comentário:

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.