sexta-feira, 14 de maio de 2010

NBC Cancela Heroes, Mercy e Novamente Trauma

(clique nas imagens para ampliar)

A rede NBC tornou oficial a informação que já vinha circulando há semanas pela imprensa americana: o fim de "Heroes". A demora em oficializar seu cancelamento se deu pelo fato de que o canal vinha avaliando a possibilidade de produzir dois ou quatro episódios ou então um telefilme, para dar um final à trama. Mas, tal qual ocorreu com "Lei & Ordem", a especulação por parte da imprensa em torno do destino da série forçou a divulgação oficial do cancelamento. Assim, somente na segunda-feira é que o canal deverá tornar pública a decisão sobre uma finalização da história. Com o cancelamento de "Heroes", vai para a gaveta todos os projetos que poderiam existir em transformar a série em uma franquia gerando spinoffs.

A série teve um desenvolvimento meteórico tal qual o sucesso conquistado. A produção levou nove meses, o equivalente a uma gestação humana, para surgir a ideia, elaborar o projeto, apresentar a uma emissora, vender o produto, produzir o episódio, apresentar a uma audiência teste e estrear na TV americana. Para um projeto complexo como "Heroes", a rapidez de seu desenvolvimento comprometeu a continuidade da série, e seu respectivo sucesso.

Segundo Tim Kring em entrevistas da época, a idéia surgiu no início de 2006, ainda sob os efeitos do atentado de 11 de setembro de 2001 e as consequencias de um mundo dominado por terroristas, inimigos sem rostos que poderiam ser encontrados em qualquer lugar. "Heroes" veio da ideia de se criar uma série que pudesse dar à audiência personagens que, tal qual os terroristas estão em qualquer parte, mas que, nesse caso, são heróis com poderes de salvar o mundo e a humanidade e não destruí-los. Assim o projeto foi desenvolvido, apresentando pessoas comuns descobrindo ter poderes dentro delas que podem, de alguma forma, modificar a história da humanidade e seu futuro (ou passado). Justamente por serem pessoas comuns tentando lidar com esses poderes (muitas vezes recém descobertos), elas cometem erros, se deixam dominar, ou procuram negar seu potencial natural.

Seguindo os conselhos de Damon Lindelof, de "Lost", Tim Kring apresentou seu projeto à NBC que produziu uma primeira versão do piloto o qual foi exibido durante a Comic Con realizada no meio do ano. A reação do público garantiu a produção da série, que adotou o formato popularizado nos anos 40 pelos seriados do rádio e do cinema: histórias contínuas com cliffhangers (situação em aberto) a cada final.

A série estreou em setembro de 2006 conquistando 14.5 milhões de telespectadores para sua primeira temporada. Todos acreditavam que surgira ali a salvação da NBC e o mais novo clássico que dominaria a produção televisiva nos próximos anos, talvez da década. Em 2007, a NBC cogitou produzir uma spinoff de "Heroes" com a intenção de segurar o público entre uma temporada e outra. Assim, "Heroes: Origins" apresentaria novos personagens-heróis ao longo de seis episódios, dentre os quais um a cada episódio seria escolhido para, posteriormente, integrar o elenco da série original; além disso, a spinoff também serviria para introduzir explicações relacionadas a elementos explorados em "Heroes". No entanto, a greve de roteiristas orcorrida na época levou o canal a cancelar o projeto.

Ao longo de sua produção, a série foi perdendo fôlego decepcionando até o mais ardoroso dos fãs. As críticas chegaram a tal ponto que seu criador e produtor, Tim Kring precisou pedir desculpas ao público. A quarta e última temporada de "Heroes" encerrou sua exibição no dia 8 de fevereiro, registrando uma média de 5 a 6 milhões de telespectadores. A audiência versus o custo de produção determinou seu final.


Outra produção cancelada pela NBC foi "Mercy", série que também teve um desenvolvimento e produção meteóricos. Mas, ao contrário de "Heroes", não apresentou elementos que pudessem seduzir o público. A série médica foi escolhida para substituir "Parenthood", originalmente prevista para estrear em setembro de 2007. "Parenthood" fora adiada em função do diagnóstico de câncer da atriz Maura Tierney, culminando em sua substituição por Laura Graham. Assim, "Mercy" trocou de lugar com "Parenthood".

Produzida às pressas, e sofrendo troca de atores, a série não teve tempo de se desenvolver estreando em um período de grande competitividade. Exibida entre setembro de 2009 e maio de 2010, a série registrou uma média de 4 milhões de telespectadores.

Além dessas duas séries, a NBC confirmou o cancelamento de "Trauma", produção originalmente cancelada em 2009, mas que teve novos episódios produzidos apenas para tapar buraco na programação.

3 comentários:

David ®... disse...

Graças a god HEROES foi cancelada. Sou daqueles q mesmo com o péssimo desenvolvimento da história, persisto ate´o fim pra ver onde vai dar (vide LOST)..rs

abs

PS: posso sugerir uma seção do blog/tag? "Cancelamentos" ou "séries canceladas oficialmente"

Fernanda Furquim disse...

oi David, já temos a seção. Na coluna à direita, procure por Séries Canceladas. Tem também a seção Séries Renovadas.

Mas para facilitar, segue o link:

http://revistatvseries.blogspot.com/search/label/S%C3%A9ries%20Canceladas

David ®... disse...

Ops...falha minha...eu até procurei mas acabei passando batido.

Obrigado!

ass: Mr. Magoo

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.