terça-feira, 27 de outubro de 2009

Warehouse 13 Chega ao Brasil

Como lembrete: os novos episódios das séries em exibição da Warner começaram ontem e continuam hoje. No dia 26 estreou a 7ª temporada de "Cold Case" e a 2ª de "The Mentalist". Hoje o canal começa a exibir os episódios da 7ª de "Two and a Half Men", a 3ª de "The Big Bang Theory", a 9ª de "Samllville" e a 2ª de "Fringe". Também estreou série nova, "Warehouse 13".

Criada por Jane Espenson e D. Brent Mote, a série é uma produção para o canal SyFy americano que tem sido muito bem recebida pelo público. É uma mistura de "Arquivo X" com "Loja do Terror", na qual temos uma dupla do FBI recrutada para trabalhar na Warehouse 13, um local onde são armazenados objetos de origem alienígenas ou que têm poderes de alguma espécie, capazes de interferir na vida das pessoas.

Apesar do sucesso a série não é nenhuma grande produção. É simpática, tem seus momentos, embora para quem já viu muitas outras séries nesta linha vá parecer o mesmo do mesmo. A série tem personagens interessantes, mas não são eles que de fato atraem; são os objetos e suas funções que roubam as cenas.

Contém pequenos spoilers:

Uma série de aventuras, com personagens caricatos, entre eles temos Artie (Saul Rubinek), responsável em manter o armazém; um expert em ciências e tecnologias. Seu histórico foi pouco explorado tendo em vista que logo em seguida entra a fatídica presença da adolescente sabichona, Cláudia (Allison Scagliotti). Apesar de sua relação com Artie trazer informações sobre seu passado, sua presença o diminui na trama. Se antes ele era o expert que solucionava os problemas, com Cláudia em cena ele se torna um velho não muito esperto, com poucos momentos em que ele a supera em inteligência.

A dupla do FBI lembra "A Gata e o Rato", em que Maddie e David, detetives particulares, trabalhavam juntos mas não se suportavam. Aqui Myka (Joanne Kelly) e Pete (Eddie McClintock) não estão no mesmo grau de antagonismo, mas suas personalidades lembram um pouco a série dos anos 80.

Por falar em lembrar, "Warehouse 13" parece ter sido criada tendo "Stargate SG-1" como referência, especialmente no episódio "Breakdown", escrito por Michael P. Fox e Ian Stokes. Este episódio se assemelha muito a "Threads", escrito por Robert C. Cooper, no qual temos Daniel Jackson encontrando-se com Oma Desala em uma lanchonete localizada em um lugar incerto e não sabido. Lá, descobre que todos os fregueses são na verdade anciãos, que cobram de Daniel uma decisão: ascender novamente ou morrer.

Em "Breakdown", Artie encontra a Sra. Frederic (CCH Pounder), sua superiora, algo como o General Hammond em "Stargate SG1", só que mais misteriosa. O encontro é em uma lanchonete onde todos se revelam parte do misterioso grupo por trás da Warehouse 13. Eles estão ali para decidir o destino de Artie. Este, logo percebe que todos os membros do grupo temem McPherson, um ex colega dele que o ajudava no armazém. Tendo aprendido muito sobre os segredos dos objetos, ele se torna um renegado, vendendo aqueles que ele consegue roubar (situação semelhante a Harry Maybourne) . Em "Stargate SG1", Daniel descobre que os anciãos temem Anubis, que um dia fora discípulo de Oma Desala.

Esta cena poderia também ser comparada àquela da lanchonete do último episódio de "Contratempos/Quantum Leap", que embora tivesse um enredo diferente, tinha praticamente a mesma função: decidir o destino de Sam Beckett (Scott Bakula).

Outras semelhanças entre Artie e Daniel está o conhecimento das histórias que cercam os objetos e os diferentes idiomas; também tem o fato de que uma ex-paixão de Artie o trocou por McPherson, que agora é seu inimigo mortal. Em "Stargate SG1", Daniel Jackson teve sua esposa possuída pelo inimigo.

Outras situações de "Warehouse 13" que poderiam ser comparadas à "Stargate SG1" é o personagem de Myka, que segue a linha intelectual de Carter, tendo inclusive um pai que fica doente e quase morre; ou Pete, que tem o humor semelhante a Jack O´Neill. E por falar em Pete, ele tem uma espécie de sexto sentido que o permite sentir a presença do perigo, algo que Teal´c era capaz de sentir sempre que um hospedeiro de um Goal´d se aproximava. A personalidade de Cláudia lembra a de Vala.

A série também desperdiçou as participações de Tricia Helfer e Michael Hogan, ambos de "Battlestar Galactica", que aparecem em episódios diferentes, mas interpretando personagens apagados.

Enfim, dá para dar uma conferida, mas sem grandes expectativas ou exigir demais, senão, não passa do primeiro episódio. A primeira temporada da série já foi produzida e exibida nos EUA, com um total de 13 episódios, sendo que já foi renovada para uma segunda.

Nenhum comentário:

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.