terça-feira, 16 de março de 2010

BBC Produz Minissérie com Narrativa em Tempo Real


Quando estreou em 2001, a série "24 Horas" trouxe uma nova abordagem narrativa para o formato seriado: a história contada em tempo real. Tá certo que com isso a composição orgânica do personagem central, Jack Bauer, ficou comprometida: não ia ao banheiro, não comia, praticamente não dormia e...outras coisinhas a mais. Mas, temos que levar em consideração que, se para nós a história é narrada em 24 semanas, para o personagem, é apenas 1 dia. Após uma década de sucesso, a série entrou na corda bamba, vivenciado a fase do "cancela-não-cancela".

Enquanto os americanos não decidem o que fazer com Jack Bauer, surge na Inglaterra a informação de que a BBC1 encomendou a produção de uma minissérie de 4 episódios, chamada "Siege", que traduzindo significaria "Cerco". A trama a ser desenvolvida deverá seguir a narrativa em tempo real. Na história, teremos o governo negociando com um sequestrador que mantém 100 civis como reféns em uma escola de segundo grau. Exigindo a libertação de um famoso criminoso, o sequestrador estipula um prazo, no fim do qual começará a executar os reféns.

Criada por Kate Brook, com base em argumento de Simon Curtis, a produção será da Big Talk Productions para a BBC1, que planeja exibir os episódios quatro noites seguidas. Esta é a segunda produção seriada, que se tem notícias, com narrativa em tempo real produzida na Inglaterra, também pela BBC. A primeira foi a série "The Royle Family", entre 1998 e 2000, com especiais produzidos em 1999 e 2006. A história girava em torno de uma família que conversava amenidades enquanto assistiam a um programa de TV. O tempo do episódio seguia o tempo de duração do programa que viam. Também pela BBC foi produzido um episódio de "Doctor Who", chamado "42", em 2007, mas esse com certeza teve influência de "24 Horas".


Por curiosidade, embora "24 Horas" seja o primeiro seriado a utilizar o tempo real como estrutura narrativa nos EUA, outras séries produziram no passado episódios que seguiam essa mesma estrutura, algumas até com o reloginho no canto da tela. A primeira que tenho notícias foi "Mash", em um episódio de 1979 chamado "Life Time", escrito e dirigido por Alan Alda, em parceria com Walter Dinshell.

Depois veio  "Um Amor de Família/ Married with Children", com o episódio "Johnny Be Gone", de 1987; a mesma série repetiria a fórmula em mais dois episódios: "The Worst Noel", de 1993, e "The Desperate Half-Hour" de 1997. Teve também "Louco Por Você/ Mad About You" no episódio "Our Fifteen-Minutes", de 1994. A mesma série produziu outro episódio com narrativa em tempo real, "The Conversation", de 1997.  Em 1991 teve o episódio "The Chinese Restaurant" de "Seinfeld".

Então veio "24 Horas", em 2001, e a partir daí outros episódios de séries foram produzidos em tempo real, como "Dawson's Creek", com "Downton Crossing", de 2002; "Plantão Médico/ ER", com "Time of Death", de 2004; no mesmo ano teve o episódio "Thirty-Eight Minutes", de "Stargate Atlantis". Também teve "The West Wing", com "Here Today", de 2005; "The L Word", com "Losing Time", em 2006; e "Os Simpsons", com "24 Minutes", paraódia da série, em 2007. Também teve "Watching Ellie", em 2002, sitcom estrelada por Julia Louis-Dreyfus, que teve duas temporadas com episódios narrados em tempo real.

Este é um recurso narrativo muito utilizado no teatro, em comédias de erros, em que temos o entra e sai de personagens, em histórias em que geralmente se procura por alguma coisa ou alguém.

2 comentários:

Thiago Silva disse...

Todo Mundo Odeia o Chris/Everybody Hates Chris também teve um episódio-paródia inspirado em "24 Horas", com relóginho identico ao de "24 Horas" no canto da tela e tudo mais. não sei dizer precisamente qual temporada esse episódio foi ao ar, assisti ele pela Record, mas lembro que narrava a tentativa do Chris em preparar o almoço (ou seria o jantar?) do Dia de Ação de Graças.

Fernanda Furquim disse...

Obrigada pela informação Thiago!

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.