Apresentando Being Erica

Alguém se lembra do filme "Peggy Sue Seu Passado a Espera/Peggy Sue Got Married" ou da série "Contratempos/Quantum Leap"? Pois "Being Erica" é uma mistura destas duas produções com acréscimos de elementos próprios.

A produção canadense estreou em janeiro e já está sendo considerada pelos críticos locais de "a versão feminina e moderna de "Contratempos/Quantum Leap". Nesta série americana produzida entre os anos 80 e 90, tínhamos o Dr. Sam Beckett (Scott Bakula) que viajava pela sua própria linha do tempo para corrigir o que uma vez ocorreu de errado nas vidas das pessoas que o cercam. Mas, ele não chega ao passado dentro de seu próprio corpo, ele, na verdade, ocupa o corpo de outra pessoa, que viveu naquela época. Ocorre uma troca, pois a essencia da pessoa vai para o futuro e fica presa no corpo de Sam. No passado, as pessoas vêem Sam na forma física da pessoa que ele está "incorporando".

Em "Peggy Sue", temos Kathleen Turner interpretando Peggy uma mulher recém-divorciada de Charlie, o homem com quem se casou e teve uma filha, logo após sua formatura. Durante uma reunião com os antigos colegas de escola, Peggy se descobre transportada para os anos 60, vivendo aquele período outra vez. Lá, decide trocar de namorado para tentar mudar seu futuro.

Já "Being Erica" temos uma jovem de 30 e poucos anos que resolve fazer terapia. Seu analista utiliza um método surreal para ajudá-la a corrigir os erros que Erica diz ter cometido no passado. Você nunca desejou ter uma chance de voltar no tempo e fazer diferente algo que você considerou ser uma grande burrada? Pois é, Erica tem esta chance. A diferença entre ela e Sam Beckett é que Erica entre em seu próprio corpo no passado para corrigir seus próprios erros. Outra grande diferença entre ela e Sam, é que Erica não consegue refazer suas ações da forma que realmente deseja. Fatores humanos a levam, muitas vezes, a piorar a situação, mas sempre existe o lado bom de tudo.

Vindo de uma família judia disfuncional, Erica ainda está tentando dar um jeito em sua vida: desempregada, sem namorado, com a família no seu pé, tendo que aguentar as comparações com sua irmã, com poucos amigos e estremamente crítica, ela precisa desesperadamente de ajuda. É assim que ela encontra o Dr. Tom (Michael Riley), um analista esquisito que parece saber tudo sobre sua vida e mantém seu consultório "aparecendo" do nada em qualquer parte da cidade. Ele pede que Erica faça uma lista de todos os erros que cometeu e que gostaria de mudar e passa então a trabalhar com cada um deles, em cada episódio. Acreditando que vai conseguir mudar seu presente, ela embarca nesta aventura.

Estrelada por Erin Karpluk, que já teve participações em "The L Word", interpretando Alysse, a série "Being Erica", que chegou a ser anunciada com o título de "The Session", é uma dramédia criada por Jana Synior e produzida pela canadense Temple Street Productions com distribuição internacional da BBC inglesa e tem 13 episódios iniciais encomendados.

Também no elenco estão Tyron Leitso, Vinessa Antoine, Reagan Pasternak, Morgan Kelly, John Boylan, Kathleen Laskey, Joanna Douglas, Adam MacDonald, Paula Brancati, Sarah Gadon, Devon Bostick e Laurence Leboeuf.

Já foram exibidos pelo canal CBC cinco episódios, sendo que o primeiro conquistou uma média de 575 mil telespectadores e o mais recente teve uma média de 644 mil. Visto ser uma produção exibida no Canadá, os números são diferentes daqueles exigidos por uma emissora americana.

Para quem tiver curiosidade, a produção da série mantém um Blog, no qual a personagem conversa sobre diversos assuntos com a câmera. Veja abaixo:



Trailer da Série:

Comentários

Anônimo disse…
Ai meu deus...vc desenterrou a Peggy Sue....eu assisti esse filme no cinema...era fã da Kathleen Turner..hahaha..direto do túnel do tempo.
Abraços,
David®

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial