EUA: As Séries que Retornam Hoje - 28/09


Brothers & Sisters

A terceira temporada da série inicia com os episódios "Glass Houses", "Book Burning", "Tug of War", "Everything Must Go", "You Get What You Need", "Bakersfield", "Do You Believe in Magic" e "Going Once...Going Twice".

Criada por John Robin Baitz, a série é uma das grandes audiências da TV americana. Sua primeira temporada conquistou uma média de 12.2 milhões de telespecatdores, caindo um pouco na segunda, que fechou uma média de 11.5 milhões. Ainda sim, não conseguiu figurar entre os 20 programas mais vistos da TV americana, conquistando o 37º lugar e o 38º lugar na audiência.

A nova temporada traz um novo personagem, Ryan, um dos membros da família Walker que deverá retornar nos primeiros episódios. Expecula-se que o ator Jason Ritter, de "Joan of Arcadia", e filho do falecido John Ritter, tenha sido escalado para interpretar Ryan. Já Kitty e seu marido Robert iniciam um processo de adoção.

"Brothers & Sister" é exibida pela rede ABC e tem como concorrentes as séries "The Unit", "Mad Men", "Skins", "Entourage", "Army Wives" e "Californication".

Californication

Criada por Tom Kapinos, um dos roteiristas de "Dawson´s Creek", a série "Californication" retorna esta noite com sua segunda temporada. Os títulos das primeiras cinco histórias são "Slip of the Tongue", "The Great Ashby", "No Way To Treat A Lady", "The Raw & the Cooked" e "Vaginatown".

Exibida pelo canal a cabo Showtime, a série conquistou uma audiência de 550 mil telespectadores em seu episódio de estréia. O segundo sofreu uma elevação significativa, conquistando 1.04 milhões de telespectadores, praticamente o dobro da estréia. Tornou-se uma das séries mais vistas pelo almejado público da faixa entre 18 e 49 anos de idade. Segundo o canal Showtime, a primeira temporada conquistou uma média de 2 milhões de telespectadores, considerada uma boa média para uma produção a cabo.

Seguindo sua trandição de chocar o público com produções que abordam temáticas controvertidas, o canal Showtime apostou em uma série que trabalha a depressão e a dependência ao sexo. O piloto da série apresenta um sonho de Hank no qual uma freira faz sexo oral com ele. Como resultado, a série sofreu ataques de grupos religiosos e segmentos da sociedade americana, entre eles o Parents Television Council - PTC, que organizou um boicote à série junto aos anunciantes. Dois anunciantes, a Holden e a Holeproof, renderam-se às ameaças de boicote a seus produtos e cancelaram seus anúncios que chegaram a ser exibidos nos intervalos do primeiro episódio da série.

Apesar da controvérsia e do boicote, a grande maioria dos anunciantes decidiram manter seus contratos com a série, acreditando na maturidade do público, dos roteiristas e no fato do programa ser voltado à TV a cabo. Ao longo da primeira temporada, a série chegou a ganhar novos anunciantes, como a Carlton & United Breweries, fabricantes de cerveja. A produção também sofreu um processo por parte da banda Red Hot Chilli Peppers que apontou o título de seu álbum, "Californication", lançado em 1999, como referência não autorizada para o título da série. Em resposta, Tom Kapinos afirmou que o nome é originário da expressão utilizada pelos americanos para referir-se ao estado do Oregon.

A segunda temporada marcará o retorno de David Duchovny que recentemente internou-se em uma clínica para livrar-se de sua dependência ao sexo via Internet. "Californication" terá a mesma concorrência de "Brothers & Sisters".

Cold Case

Esta é outra das séries de maior audiência da TV americana. Sua primeira temporada conquistou uma média de 14.18 milhões de telespectadores, deixando-a em 17º lugar na audiência. A segunda temporada sofreu uma pequena elevação, fechando em 15.1 milhões, mantendo-a na mesma posição no ranking final. A série estabilizou sua audiência no terceiro ano, com 14.5 milhões de telespectadores, chegando ao quarto ano com 14.4 milhões na audiência. Já o quinto ano marcou uma queda significativa na audiência, fechando em 10.8 milhões de telespectadores, levando-a ao 33º lugar no ranking. Lembrando que esta queda é referente à greve dos roteiristas.

A série entra em sua sexta temporada precisando definir sua situação junto à audiência. Os títulos dos primeiros episódios são "Glory Days", "True Calling", "Wednesday's Women", "Roller Girl", "Shore Leave", "The Dealer", "One Small Step", "Pin Up Girl" e "Triple Threat". A produção retrata a investigação de casos antigos. Com a descoberta de novas pistas, um departamento da polícia reabre as investigações de crimes que ocorreram anos ou décadas atrás. Com essa premissa, os fãs de séries clássicas têm a oportunidade de rever muitos atores que já passaram pela TV ao longo dos anos, interpretando personagens mais velhos de casos que serão investigados e revistos em flashbacks com atores mais jovens. A premissa também serviu de base para protestos de fãs da produção canadense, "Cold Squad", que estreou cinco anos antes com a mesma história.

"Cold Squad" enfrenta a concorrência de "Desperate Housewives", "Easy Money", nova série do canal CW, "True Blood", "Dexter", os desenhos "Family Guy", "American Dad", e a transmissão de jogos de futebol que vai ao ar todos os domingos à noite.

Desperate Housewives

A quinta temporada da série estréia esta noite com os episódio iniciais "You´re Gonna Love Tomorrow", "We´re So Happy You´re So Happy", "Kids Ain´t Like Everybody Else", "Back in Business" e "Mirror, Mirror". Em seu retorno, a série avança cinco anos em sua trama. Nesta fase, o público terá que ser reapresentado às situações das donas de casa cujas vidas sofreram algumas mudanças significativas. Susan tem um novo homem em sua vida, Gabrielle é mãe de duas meninas, Lynette tenta lidar com seus filhos deliquentes juvenis, enquanto Bree é autora de livros de culinária e sócia de Katherine. Já Edie retorna a Wisteria Lane trazendo um marido a tiracolo.

"Desperate Housewives" é, ao lado de "C.S.I.", uma das maiores audiências em série de TV dos EUA. A primeira temporada fechou uma média de 23.7 milhões de telespectadores, deixando-a em quarto lugar na audiência americana. Mas, apesar de ainda manter uma grande audiência, a série começou a perder audiência a partir da segunda temporada. Fechou o segundo ano com 22.2 milhões de telespectadores e o terceiro teve sua mais baixa audiência, com uma média 17.5 milhões de telespectadores, levando-a ao décimo lugar no ranking. A quarta temporada teve uma leve recuperação fechando uma média de 18.2 milhões de telespectadores, deixando-a em sexto lugar no ranking.

A série enfrenta a mesma concorrência que "Cold Case".

Dexter

A terceira temporada da controvertida série do Showtime inicia esta noite com os episódios "Our Father", "Finding Freebo", "The Lion Sleeps Tonight", "All in the Family", "Turning Biminese", "Sì Se Puede", "Easy as Pie", "The Damage a Man Can Do", "About Last Night", "Go Your Own Way" e "I Had a Dream". Um novo personagem entra para a trama na figura do promotor público Miguel Prado, interpretado por Jimmy Smits.

Esta produção também enfrenta constantemente os ataques do PTC, especialmente quando foi escolhida pela rede CBS, parceira do Showtime, para ser exibida, com cenas editadas, na TV aberta durante a greve dos roteiristas. Espera-se que este fato tenha trazido para a série uma nova audiência para os episódios que estão para estrear.

A TV a cabo não tem uma medição e divulgação de nível de audiência como o da TV aberta. Mas, segundo o canal Showtime, a série tem mantido uma média entre 500 a 1 milhão de telespectadores, variando entre os episódios. Ainda segundo o canal, o oitavo episódio da segunda temporada registrou a maior audiência da série, com um total de 1.09 milhões de telespectadores. Uma elevação de 40% na audiência da série que estreou o episódio piloto com um total de 603 mil telespectadores, sendo que o último episódio da primeira temporada conquistou 1.08 milhão na audiência. A segunda temporada manteve a média de audiência do final da primeira.

"Dexter" tem a mesma concorrência que "Desperate Housewives".

The Unit

Esta série de aventura entra em sua quarta temporada com os episódios "Sacrifice", "Sudden Flight", "Sex Trade", "The Conduit", "Dancing Lessons", "Inquisition", "Into Hell, de duas partes, e "Safe House".

A produção estreou bem na audiência fechando a primeira temporada com uma média de 15.5 milhões de telespectadores, dando ao programa da CBS o 14º lugar no ranking. A segunda temporada sofreu uma queda significativa conquistando uma média de 11.1 milhões de telespectadores, chegando à terceira perigosa marca de 10.7 milhões. Perigosa porque a série é uma produção de aventura, custa muito caro e para se manter necessita figurar na marca igual ou superior a 10 milhões de telespectadores para assegurar um retorno finaneceiro que justificque sua produção.

Criada por David Mamet, a série tem como bas e o livro "Inside Delta Force: The Story of America's Elite Counterterrorist Unit", escrito por Eric Haney, que também é produtor ao lado de Mamet e Shawn Ryan, o qual por sua vez criou e produziu "The Shield". Mamet é autor teatral que já publicou romances. Ele está na televisão desde os anos 80, tendo escrito roteiros para "Chumbo Gross/Hill Street Blues".

"The Unit" sofre a mesma concorrência de "Brothers & Sisters".

Comentários

Anônimo disse…
A volta de Dexter foi muito boa. Não trouxe uma premissa da temporada tão forte quanto a das duas temporadas anteriores, mas a série continua ótima. Parece que nesta temporada vai focar ainda mais nas personagens, em detrimento de uma história principal, o que é excelente...

A volta de Californication foi ótima. Eu não gostei do piloto e dos primeiros episódios, mas no decorrer da temporada ela cresceu muito.

Ah, e eu resolvi arriscar a ver True blood... e adorei. Achei excelente mesmo, a melhor série nova que vi neste ano... E já emendei e vi os outros dois que passaram (e nesta semana eu vejo o quarto episódio). Achei os episódios muito bem escritos, ótimos diálogos, elenco fantástico, e o desenvolvimento da trama com ótimo timing. Espero que ela consiga audiência (se bem que já até foi renovada para uma segunda temporada...)

Bom, escrevi demais hehe
Quarta-feira estou lá na Saraiva, hein!

Bjuzz
Anônimo disse…
Ah, outra coisa: Skins só volta em janeiro né?
Eu vi ali escrito que vai concorrer com Brothers & sisters...
Unknown disse…
brothers & sisters e Desperate Housewives são umas das minhas favoritas. Californication é ótimo!

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial