São Paulo Cria Museu da Televisão


A cidade que viu nascer a TV brasileira em 1950 irá abrigar o primeiro Museu dedicado ao que restou da memória deste veículo tão maltratado e mau preservado. A Prefeitura de São Paulo assinará um acordo no próximo dia 30 para oficializar a cedência de um prédio no qual se instalará o Museu da TV Brasileira após 58 anos dos inícios das transmissões televisivas em território brasileiro. O local escolhido é um prédio histórico que fica localizado no Complexo do Gasômetro, na região do parque Dom Pedro (Brás, centro da cidade), onde funcionou a empresa responsável pela introdução da iluminação pública na capital paulista.

Estarão presentes no evento Regina Duarte, dirigentes de emissoras, pioneiros da televisão, a exemplo do ator Lima Duarte (que participou da inauguração da TV brasileira), o prefeito Gilberto Kassab (DEM), o governador José Serra (PSDB) e outros políticos. A inauguração do Museu está prevista para 2010.

A criação do Museu da TV Brasileira se dá graças aos contínuos esforços da atriz Vida Alves, 80 anos, protagonista do primeiro beijo na TV, que há quase 13 anos vem lutando para convencer o governo paulistano a criar esta entidade para preservar a memória televisiva brasileira. Após tantos anos tentando sensibilizar as autoridades em ceder um local para o Museu, Vida Alves finalmente teve sucesso e contará com o apoio da Fundação Padre Anchieta - FPA, que administra a TV Cultura, para montar o espaço.

O Museu da TV Brasileira será um local onde o público terá acesso ao acervo de equipamentos antigos, câmeras e televisores de várias épocas, figurinos, cenários, e a possibilidade de assistir a antigas gravações de programas que conseguiram sobreviver à passagem do tempo e armazenamentos precários. Os cenários serão montados em um galpão onde o público terá a oportunidade de ver o local e as imagens do programa para o qual o cenário foi criado originalmente. Os programas infantis terão um espaço próprio, em separado, com a presença em peso dos programas da TV Cultura. Estúdios de televisão também serão montados em outro galpão para que o público possa ter a sensação real e a experiência de entrar em um estúdio de TV e produzir um programa. O acervo a ser exposto depende também da boa vontade dos canais em cederem sua "coleção", atualmente privada.

Uma boa parte do acervo que estará disponível no Museu foi preservado pela atriz Vida Alves, que também redigiu 800 biografias de personalidades da televisão disponíveis no site da Pró-TV, associação que ela criou para manter a memória televisiva brasileira. Lá também encontram-se os depoimentos de 130 pessoas, algumas já falecidas, que falam sobre sua experiência na TV.

Mas calma, nem tudo são flores. Para que o projeto siga adiante, será necessário o investimento de 25 milhões de reais. A verba atual é de 4 milhões, oferecido pelo BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento. O orçamento é apenas para a restauração dos galpões do Gasômetro, abandonados.

Será que a TV brasileira está acordando para o futuro e preservando seu passado? Será que a popularidade cada vez maior das séries estrangeiras assustou tanto assim? Afinal, está se investindo mais na publicação de livros, nos lançamentos em DVD, na criação de um Museu que há 13 anos estava empacado, e na produção maior de séries de TV, já que a prioridade das emissoras, no que diz respeito à dramaturgia, sempre foi a novela. Esperemos que não seja fogo de palha...de novo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial