Sindicato de Roteiristas do Canadá se Manifesta

O Sindicato dos Roteiristas do Canadá divulgaram uma nota à imprensa na qual afirmam que continuam dando apoio à greve dos roteiristas americanos. Essa manifestação tem como motivo explicar a posição do Sindicato Canadense perante a corrida dos estúdios americanos ao Canadá em busca de projetos nos quais possam se associar. O mais recente foi a série "Flashpoint", que terá como co-produtora a rede CBS. A notícia dessa co-produção não "caiu bem nos ouvidos" do WGA, em greve há três meses.

Em sua declaração à imprensa, Maureen Parker, Diretora Executiva do Writers Guild of Canada, afirma que a participação da CBS na série é puramente como co-produtora e nada mais. O projeto não foi desenvolvido pela CBS e sim pela CTV com dinheiro canadense. A CBS entrou na fase final da pré-produção e, portanto, não configura uma série americana mesmo entrando para o elenco atores americanos como Enrico Colantoni.

"Seria projeto americano se ocorresse o contrário: se nós entrássemos para um projeto que foi desenvolvido nos EUA para suprir a falta dos roteiristas em greve", explica Parker em nota à imprensa. "Esta é uma série canadense e passou por todas as etapas necessárias para sua produção com apoio de governo, emissora e produtora canadense".

Parker manifesta o apoio do Sindicato Canadense à luta do Sindicato de Roteiristas Americanos, e reafirma que jamais permitiria que os roteiristas canadenses fossem usados para suprir a falta dos americanos em projetos americanos. O receio do Sindicato de Roteiristas do Canadá é que o fato seja mal interpretado pelo WGA que, posteriormente, poderia impor restrições ao trabalho de roteiristas canadenses nos EUA. O apoio do Sindicato Canadense iniciou com a greve dos americanos, chegando ao ponto de fazerem piquetes programados, em frente aos escritórios de produtoras americanas no Canadá.

A divulgação da participação da CBS na série canadense "Flashpoint" levantou dúvidas no Sindicato Americano que procura evitar que os estúdios substituam o trabalho dos roteiristas americanos por de outros países para levarem adiante projetos americanos. Em função da greve, as emissoras dos EUA começaram a fazer compras de produtos da Inglaterra, Canadá e Austrália, já prontos, para serem exibidos em sua programação caso seja necessário. Agora, iniciaram a altarnativa de co-produzir séries de outros países, entrando no projeto depois deles já terem sido aprovados e tendo sua pré-produção feita. Outra alternativa das emissoras para a greve, são os Reality Shows.

As filmagens da série iniciam em abril em Toronto. Estrelada por Enrico Colantoni (Just Shoot Me), Hugh Dillon (Durham County) e David Paetkau (Whistler). Essa é a primeira série canadense, desde "Rumo ao Sul/Due South", em 1994, que será exibida simultâneamente nos dois países em primetime.

Enquanto isso, o WGA assinou acordo com a Overture Films, associada à Liberty Media Corp. Quanto aos grandes estúdios, nem sinal ainda de um acordo. Segundo nota anterior, existem cláusulas no contrato entre estúdios e diretores que desagradam o Sindicato dos Roteiristas, e o Sindicato dos Atores, o que estaria dificultando um final para a greve que iniciou em 5 de novembro.

Comentários

Anônimo disse…
Acabou de sair no The Hollywood Reporter que a atriz Amy Jo Johnson, famosa pela série Felicity já está confirmada no elenco da série Flashpoint!

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial