Evel Knievel (1938-2007)


O motoqueiro acrobata mundialmente famoso pelo nome de Evel Knievel morreu no dia 30 de novembro aos 69 anos. Capaz de saltar com sua mota sobre 13 carros, Knievel atraiu multidões a estádios para ver sua mais nova façanha. Seu sucesso o levou para a televisão em participações especiais e até inspirou a produção de um desenho animado pela Hanna-Barbera.

Nascido Robert Craig Knievel Jr, em 17 de Outubro de 1938, em Montana, foi criado por seus avós depois que seus pais se divorciaram. Ainda adolescente, largou os estudos e foi trabalhar em uma mineradora. O sonho de tornar-se um dublê surgiu quando tinha oito anos e assistiu a um show de dublês. No entanto, Robert passou sua juventude bebendo e provocando brigas que o levavam constantemente à cadeia. Foi na prisão que os guardas lhe deram o apelido de Evil, o qual ele adaptou para Evel e passou a utilizar profissionalmente a partir de 1965, quando finalmente conseguiu montar seu primeiro show de moto, o "Evel Knievel and the Motorcybles Daredevils".

Foi durante um show em 1967, em Las Vegas, que ele se tornou mundialmente famoso. No entanto, o resultado da acrobacia o levou para o hospital onde ficou um mês em coma, além de vários ossos quebrados, incluindo a bacia. Durante anos tentou convencer o governo americano para conceder-lhe o direito de realizar uma performance que o levaria a saltar o Grand Cannyon. Nunca conseguiu. No entanto, chegou a saltar o Snake River Canyon.

Em 1977, Knievel declarou falência, tendo que passar seis meses na prisão. Ele aposentou-se em 1981. Em 1983, teve novos problemas com o governo quando descobriram que ele devia 4 milhões de imposto de renda. Foi novamente preso em 1986 ao soliticar os serviços de uma prostituta.

Knievel foi casado duas vezes: Linda Joan Bork (1959–1986) e Krystal Kennedy (1999–2001), com quem continuou vivendo mesmo após o divórcio. Teve quatro filhos, sendo que o segundo, Robbie, também se tornou dublê e acrobata, repetindo o salto que o pai fez no Ceasar´s Palace em Las Vegas.

Ao longo dos anos 90, ele sofreu de vários problemas de saúde, entre eles, a hepatite C, problemas no pulmão, transplante de fígado, e dois derrames. Seis meses antes de morrer, Knievel renunciou ao seu famoso apelido, Evil/Evel, por ter se convertido ao cristianismo.

A fama do motoqueiro gerou uma produção de brinquedos e o levou a fazer uma participação na série "A Mulher Biônica", clássica, no qual ele ajuda Jamie em uma de suas missões. Knievel também teve um desenho animado inspirado em sua carreira, "Devlin, o Motoqueiro", produção de 1974 da Hanna-Barbera, com um total de 16 episódios. Na história, um jovem motociclista, Ernie Devlin, realiza acrobacias em um circo ambulante com a ajuda de seus irmãos mecânicos, Tod e Sandy. Entre um show e outro, eles resolviam casos policiais.

Abaixo, cenas das acrobacias de Knievel.


Abaixo, abertura do desenho animado "Devlin, o Motoqueiro"

Comentários

Dinilson disse…
Olá Fernanda. Vc não mencionou o filme sobre a vida dele estrelado por warren beaty, acho que dos anos 80.
Fernanda Furquim disse…
Não conheço o filme, Dinilson. Teria maiores detalhes?

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial