A TV Internet

Pouco a pouco os canais de TV e distribuidoras começam a aceitar o fato de que a Internet chegou para ficar e estão absorvendo gradualmente o público antes restrito ao aparelho de TV e às salas de cinema. Nos EUA, os canais oferecem através de seus sites, episódios inteiros para que o público possa assistir gratuitamente a sua série favorita, antes dela passar na TV convencional. Por enquanto, disponível apenas em território americano. Já as distribuidoras oferecem downloads a U$1.99 dólares por episódio, além de oferecer a preços diferenciados filmes que recém saíram do cinema.

Aqui no Brasil, a Warner Channel está oferecendo a oportunidade aos telespectadores de assistirem a estréia de Studio 60, através de seu site, antes da exibição na TV. A vantagem desse serviço é a rapidez com que o telespectador terá em ver o episódio.

Atualmente, existem, aproximadamente, 950 canais em mais de 100 países que libera parte de sua programação para ser assistida através de seus sites na Internet. O futuro das exibições e distribuições de filmes e séries é, sem dúvida, a Internet. Diretores e produtores famosos começam a buscar essa alternativa, que já está sendo usada há muito tempo por aqueles que buscam a fama.

Mesmo a questão da publicidade está sendo revista pelos americanos. A TV é uma mídia puramente comercial. Para as emissoras, o produto é o que passa no intervalo comercial. Os programas como filmes, séries ou desenhos, não tem o mesmo valor, visto que, vai ano, vem ano, sucessos aparecem e desaparecem. Portanto, para eles, não importa o título, o enredo ou o elenco, o que importa é: quanto vale o intervalo comercial desse ou daquele filme, nesse ou naquele horário.

Cada propaganda tem, em média, 30 segundos de duração, que são exibidos em blocos de intervalos comerciais dos programas. No final dos anos 40 e início dos anos 50, foi estabelecido um período máximo de cinco minutos de intervalo comercial por programa. Pouco depois, esse período foi extendido para 10 minutos no máximo. É por isso que muitas séries clássicas tem uma duração de 50 a 51 minutos e as de "meia-hora", um máximo de 25 a 26 minutos de duração. A partir dos anos 80, esse período máximo para o intervalo comercial já estava em 15 minutos, conseqüentemente, os episódios diminuíram seu tempo de duração para 45 e 22 minutos, o qual é válido até hoje. Com a TV a cabo, os intervalos comerciais sofreram algumas alterações, já que cabe ao canal decidir se irá interromper o programa para exibir propagandas ou não.

Agora, com a programação televisiva agregando a Internet, como ficará a publicidade? Primeiro, não existe o critério da duração. Segundo, publicidade em pop-ups podem ser bloqueadas ou fechadas. Bem como a publicidade dentro da exibição do filme/episódio, que poderá ser passada adiante com um botão. Pensando nisso, algumas empresas de publicidade americanas já criaram um novo formato para o comercial. É a propaganda que não parece ser comercial.

Através de chamadas que estimulam o internauta a clicar em seus videos, os comerciais da Internet apelam para o jogo de interatividade, perguntas e respostas, mini-documentários e o formato episódio, no qual o roteiro de um comercial se confunda com o roteiro de uma história de ficção, com personagens se relacionando com os produtos. Existem também os comerciais personalizados para cada tipo de público que apresentam um texto informativo e educativo, ao mesmo tempo, e por aí vai.

O resultado desse novo formato de divulgação de produtos já está aparecendo. A empresa americana Millward Brown, realizou uma pesquisa em janeiro, a qual constatou que 82% dos internautas conseguem se lembrar de um comercial que viu online, contra 54% de telespectadores que diziam lembrar de algum comercial que viram na TV.

O avanço da TV Internet (em inglês é Internet TV), está forçando a empresa Nielsen a desenvolver um formato de pesquisa de audiência dessa mídia. Até o final desse ano, eles estarão aptos a mediar a audiência dos videos disponibilizados por sites das emissoras de TV americanas. Já a EMarketer acredita que até 2010, a TV Internet terá uma média de 2,9 bilhões de dólares de investimento nessa área contra os 775 milhões de dólares investidos nesse ano. Só para se ter uma idéia, de acordo com a EMarketer, esse ano foi estipulado um gasto de 93 bilhões de dólares em comerciais para a TV americana.

É claro que com o tempo a publicidade irá, com certeza, ultrapassar os limites e abusar da paciência do internauta, como já fez com o telespectador, visto que, como já mencionei, o intervalo comercial é o grande alvo das emissoras e não sua programação.

Comentários

Anônimo disse…
Post muito interessante. Realmente daqui a um tempo as propagandas vão estar enchendo o saco, pelo menos nos meios "legais" já que por torrent ou similares não se tem propaganda alguma.
Anônimo disse…
Paga cofrinho ?

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial