Classificação Indicativa e a TV Digital

Lembra quando criança que ao ligar sua TV para assistir seu programa favorito aparecia um Certificado de Censura classificando o conteúdo como "Livre", "Proibido para Menores de 14 Anos" e assim por diante? Então quem vê TV aberta já deve ter notado que a Classificação Indicativa está voltando. Há algumas semanas começou a ser transmitido avisos de alerta sobre a Classificação do conteúdo a ser exibido em seguida.

Com o objetivo de identificar programas que contenham risco de ferir os direitos do menor e do adolescente, as emissoras estão exibindo sua classificação a partir de 13 de maio. A portaria de número 264, sobre a C.I., gerou uma briga judicial na qual foi discutida a quem cabe a função de classificação de programas, se ao governo, às emissoras ou às famílias.

Assinada em fevereiro pelo então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, todos os canais, abertos e pagos, terão de informar a que idade se destina cada programa. E, no caso de programas não recomendados a menores de 16 e 18 anos, devem informar o conteúdo que determina tal restrição. O uso da Linguagem Brasileira de Sinais é facultativo para programas especialmente recomendados, livre ou não indicados a menores de 10 anos.

Devido à suspensão de alguns artigos, solicitado pela Abert - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV, a classificação de programas está sendo feita de forma parcial, desobrigando as emissoras a cumprir todos os artigos da regulamentação. Esses artigos serão debatidos pelo Ministério da Justiça, emissoras de televisão e por representantes da sociedade civil nos próximos 45 dias.

Enquanto isso, ...fora da Sala de Justiça..., as emissoras brasileiras planejam inaugurar a transmissão comercial da TV Digital em grande estilo. A idéia é produzir um programa que uniria artistas de todas as redes. O programa, que ainda não foi definido, será visto em cadeia nacional por todas as emissoras e canais de televisão. O motivo não é presentear o público com um evento memorável, nem marcar o início da TV Digital com uma alusão de união, e, sim, evitar que no futuro alguma emissora se promova como sendo pioneira desta nova tecnologia.

A indústria televisiva brasileira prevê uma mudança gradual e definitiva no perfil de público e de emissoras, já que a TV digital tende a transformar o televisor em computador.

A inauguração da TV Digital está prevista para o dia 2 de dezembro e, até lá, um Comitê formado por profissionais da comunicação e de engenharia estarão se reunido para preparar a campanha de lançamento. Mesmo sabendo que não haverá uma audiência significativa, devido ao poder aquisitivo do brasileiro, a mudança é inevitável. Para atender o povo que não terá condições de pagar o novo aparelho de televisão, a Gradiente está preparando para o mesmo período, o lançamento de um transcodificador, que permitirá uma imagem e som de alta qualidade, além da interação do telespectador com o programa. Também seguindo a linha de evolução tecnológica, deve chegar até o final do ano os aparelhos de DVD Blue Ray.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Monk dá Adeus ao Público (com adendo)

Sharona Reencontra Monk

The Heavy Water War, Minissérie Norueguesa Retrata Missão Histórica na 2ª Guerra Mundial