domingo, 10 de janeiro de 2010

Eles Dominavam a Telinha


(clique para ampliar)

Hoje em dia o SBT e a Record estão fazendo sucesso entre o público jovem que, juntamente com a própria imprensa, reage ao fato como se esta fosse a primeira vez que os canais abertos se rendem às séries estrangeiras. Ledo engano. As séries de TV fazem parte do horário nobre da TV brasileira desde que ela chegou ao país nos anos 50.

Nos anos 60, 70 e 80 por exemplo, as séries estrangeiras eram um recurso da TV brasileira para preencher seus horários em função de programas censurados que saíam do ar, ou nem entravam. Neste período, a Globo exibia várias produções policiais como As Panteras/Charlie's Angles, Kojak, Aquivo Confidencial/The Rockford Files entre outros, que iam ao ar pela vênus platinada logo após a novela das 20h. Tinha também uma sessão que só exibia minisséries.


(clique para ampliar)

As séries estrangeiras entravam pela Globo pela manhã, com programação mais infantil; à tarde, com sitcoms na Sessão Comédia, ou de ação e super-heróis na Sessão Aventura, e à noite com séries e minisséries mais adultas. Nos finais de semana, antes dos mal fadados horários de programas de auditório como Faustão tomarem conta do dia inteiro, a programação era preenchida com séries estrangeiras, como Os Waltons/The Waltons , Planeta dos Macacos/Planet of the Apes e O Homem do Fundo do Mar/Man From Atlantis, por exemplo.

Mas não era só a Globo não. Tupi, Excelsior, Record, Manchete, Bandeirantes, SBT, e canais regionais sempre exibiram séries estrangeiras. Na Record era famosa a Sessão Bang Bang, que em horário nobre exibia séries como James West, Big Valley e os três Ls: Lancer, Laramie e Laredo, entre outras.


(clique para ampliar)

A partir dos anos 80, após se fazer presente em quase todos os horários da programação brasileira por três décadas, as séries passaram a ser utilizadas pelos canais abertos como recurso para elevar a audiência. Assim, com o fim da ditadura e da censura aos programas brasileiros, estabeleceu-se o seguinte modus operandi: sempre que um canal registra seguidamente baixa audiência, ele coloca no ar séries estrangeiras, as quais são, sabidamente por eles, sucesso de público. Tão logo a audiência se estabiliza, após algum tempo, que pode durar alguns anos, o canal substitui a programação das séries estrangeiras por produtos nacionais. Em geral novelas, programas humorísticos e de auditórios (se bem que atualmente também podem apelar para os reality shows).

Foi assim, afinal, que nós nos tornamos fãs deste formato, muito antes da chegada da TV a cabo ao Brasil, que, nos anos 90, começou a "sugar" toda a produção de séries estrangeiras. Agora elas retornam à TV aberta, em horário nobre, para competir com a TV a cabo, sob a régia de "fato inédito", ...ah tá!

Para relembrar algumas destas produções que povoavam nossa telinha, seguem aqui algumas propagandas divulgadas em jornais e revistas, como a famosa e extinta Intervalo, que era uma espécie de TV Guide brasileira. Clique para ampliar as reproduções.









5 comentários:

Thiago disse...

Marta, quero parabenizá-la pela excelente matéria, essas páginas scaneadas da época são o máximo, raridade! Enfim sabemos a data exata da estréia de Big Valley aqui no Brasil: 04 de julho de 1966.

Se tiver mais matérias scaneadas, POR FAVOR, poste aqui no blog, isso é interessantíssimo!

Mais uma vez, parabéns!

Nelson disse...

Bons tempos aqueles. Ao menos quanto à programação televisiva, éramos felizes e não sabíamos. Hoje em dia dá até desgosto assistir TV.

Rafa Bauer disse...

Excelente artigo, Marta! Muito bom mesmo!

Celeste Morrigan disse...

Excelente reportagem com esse apanhado histórico das séries na tv brasileira.

Alfonso disse...

Sensacional...Morri com o texto sobre o Napoleon Solo...bwahuahua....

Vale lembrar que muitas dessas séries tinham patrocinadores de peso na época. Esse Admiral, por exemplo, que aparece patrocinando Viagem ao Fundo do Mar, era uma marca de eletrodomésticos, se não me engano.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.