segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Viagem ao Fundo do Mar


Há 45 anos, estreava esse clássico da ficção científica criado por Irwin Allen, com base em seu filme de mesmo nome lançado em 1961 pela Fox. Reaproveitando trajes, cenários, modelos, efeitos e até mesmo trechos do próprio filme, a série começa levando o público ao futuro dos anos 70. Lá conhecemos o fantástico submarino atômico Seaview, projetado pelo Almirante Harriman Nelson (Richard Basehart), chefe do Instituto Nelson de Pesquisas, localizado em Santa Barbara, Califórnia.

Irwin Allen

O magnífico submarino, no entanto, precisava de um gerador de espuma e bolhas para criar a ilusão de tamanho quando cruzava os mares e oceanos, efeito completado com filmagem em câmera lenta. O público de hoje pode até não se impressionar com a produção, mas na época teria custado uma fortuna, não fosse o filme, com o qual Allen já havia feito todo o gasto inicial. Só na construção do Seaview, por exemplo, o orçamento ficaria acima do custo da produção de um piloto completo.


A bordo, o Almirante Nelson contava com uma tripulação composta pelo Capitão Lee Crane (David Hedson), Comandante Chip Morton (Robert Dowdell), Chefe Curly (Henry Kulky, apenas na primeira temporada), Chefe Francis Sharkey (Terry Becker, a partir da segunda temporada), médico (Richard Bull), Sparks (Arch Whiting), e pelos marujos Kowalski (Del Monroe), Patterson (Paul Trinka) e Riley (Allan Hunt), entre outros.

Nelson e Crane

Crane e Chip

Chefe Curly

Chefe Sharkey

Patterson e o doutor

Kowalski e Riley

Sparks

Ao longo de quatro temporadas, o Seaview foi apresentando suas maravilhas, entre elas, o sub-voador, o sino de mergulho, o potente reator com suas perigosas pilhas e a sala de mísseis. Com esses recursos, a tripulação era capaz de enfrentar quaisquer ameaças. Inicialmente, elas refletiam os conflitos da época, como roubo de tecnologia, potências hostis, poluição e destruição nuclear. Eram os tempos da guerra fria, por isso o Almirante embarcava em missões tanto científicas quanto militares.

A partir da segunda temporada, monstros marinhos, alienígenas, fantasmas, múmias, brinquedos assassinos e estranhas criaturas se tornaram temas mais frequentes, pois a ABC desejava episódios mais leves. Para o deleite dos fãs, ela também chegou a cores. O formato resistiu até a quarta temporada, quando a audiência começou a cair e a série foi cancelada. Assim, Viagem ao Fundo do Mar terminou dia 31 de março de 1968, sendo substituída pela nova produção de Irwin Allen, Terra de Gigantes (Land of the Giants), que estreou em 22 de setembro do mesmo ano.

Para relembrar, mergulhem nessas fotos e nos vídeos.

Elenco e cenas
(clique nas imagens para ampliar)









Por trás das câmeras



Irwin Allen dando instruções
ao fundo, vê-se Richard Basehart







abertura dublada


erros de gravação

7 comentários:

Luciana Farias disse...

Essa é a série da minha infância! É muito boa! E os 'defeitos' são hilários. Nunca vou me esquecer do Cap. Lee brigando com um monstro de saco de lixo.
Muito bom!

Cesar disse...

Uma das melhores séries dos anos 60. Viagem ao fundo do mar foi muito marcante, assim como todas as séries de Irwin Allen.

Anônimo disse...

sou fã dessa série !
me encantei com as aventuras desses gatões.
pq a telrvisão ñ faz um good time eu e tantos outros fãs ficariamos felizes demais!minhas tardes eram enbaladas por eles! hoje com 50 anos tenho saudades deles
pra mim eles estão sempre na minha memória e no meu coração..

jose luis disse...

gostaria que o tempo voltace, eu amava esta mine serie, o ator que mais gostava era cap lee, com seu jeito de comandar o sub marino, tenho muita saudade, sou jose luis de brasilia df, bjs a todos

Anônimo disse...

Sinto muita saudade de um tempo q nao volta mais,me emociono relembrando essas reliquias,eram as melhores tardes de minha infancia.

rafael disse...

MUITO LEGAL A SERIE, TENHO 54 ANOS, O QUE MAIS ME FASCINAVA ERA O SUBVOADOR, E PRINCIPALMENTE OS EFEITOS ESPECIAIS SIMPLES MAS COM MUITO
PROFISSIONALISMO. VALE AINDA LEMBRAR QUE NOS ANOS 60 E 70,POUCOS TINHAM UMA TV, MINHA FAMÍLIA NÃO TINHA E A MOLECADINHA RE REUNIAM EM
UMA CASA QUE TINHA, ERA UM SILENCIO ABSOLUTO DURANTE CADA EPSÓDIO.
AHH ERA FASCINANTE TAMBEM O¨BARULHINHO DO SUBMARINO¨¨
ABRÇS A TODOS OS FÃS.

Jose Livramento disse...

Da saudade, ianos a casa de. Nosso amigo ITaque para assistir a serie colorida.
SAudade das series e das pessoas.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.