quinta-feira, 16 de julho de 2009

Emmy 2009: Comentários

O anúncio dos indicados ao prêmio Emmy geralmente vem atrelado da revolta de fãs porque suas séries ou atores favoritos não estão concorrendo. Este ano não deve ser diferente, principalmente pela ausência de algumas séries mais populares.

Mas este ano a Academia mudou em sua forma de selecionar os indicados das principais categorias, a de séries e de atores. Como já divulgado anteriormente a Academia decidiu abrir para seis o número de concorrentes nestas categorias para evitar empates. Ainda assim, eles ocorreram e assim, ao invés de seis, são sete indicados.

Outra mudaça ficou por conta de quem indicou os atores e as séries. Como dito nas postagens ateriores aqui do Blog, são os atores que votam em atores enquanto que as séries são indicadas por todos os membros votantes da Academia. Então qual a diferença neste ano?

Os indicados a séries e atores de 2009 foram selecionados através dos votos de todos os membros da Academia, e não apenas daqueles que fazem parte do círculo votante, fechado à vencedores de anos anteriores. Em geral, membro votante é aquele que já ganhou prêmio em sua área, mas somente pode participar em dois anos seguidos para a eleição de novos vencedores.

Talvez por ter aberto a todos os membros da Academia tenha surgido algumas surpresas como Simon Baker, de "The Mentalist", para melhor ator em série dramática. Mas o mais surpreendente foi constatar a presença de séries como "Mad Men" e "30 Rock" e a ausência de séries como "Desperate Housewives", "The Big Bang Theory" e "True Blood".

Visto que as duas primeiras são ignoradas pelo grande público e a última é exaltada à máxima potência, temia-se que a lista de indicados não fossem, digamos, justa, em seus critérios. Mas, ao contrário, este ano repetiu a presença de produções aclamadas pela crítica, e não pela mídia, que é sustentada pelo marketing, ou pela massa, cuja relação afetiva se sobrepõe à visão crítica.

Este tipo de voto chamado de popular não é utilizado desde 2006. Até então ele era levado em consideração como um dos representantes das principais categorias. Mas, nos últimos três anos, justamente o período em que a TV a cabo começou a despontar dentro do evento, a audiência da cerimônia de entrega do prêmio vem perdendo significativamente a audiência, fazendo com que as emissoras ameaçassem a Academia de não transmitir mais a cerimônia. Por isso, não apenas o voto popular retornou, como definiu todos, e não apenas um, candidato das principais categorias.

A despeito da ausência de séries mais populares...ok, justamente por isso, a lista de indicados foi justa, embora ainda não tenha espaço para acomodar todas, visto que faltaram "Battlestar Galactica", The Shield" ou "In Treatment".

Sendo o último ano que "Battlestar Galactica" poderia concorrer, mas não era algo realmente esperado, já que desde os anos 60 que as séries de ficção científica, mais especificamente de viagens espaciais, são deixadas de lado pela Academia.

"Além da Imaginação", em 1959, é a primeira que chegou a participar desta categoria. Depois dela, a ficção só retornou em 1989 com "Contratempos/ Quantum Leap", seguida de "Arquivo X", "Lost", e "Heroes", em 2007. Dentre as produções com viagens pelo espaço apenas "Jornada nas Estrelas", em 1966 e 1967, chegou onde somente ela retornaria mais tarde, com "Jornada nas Estrelas: a Nova Geração em 1993. De todas, a única série de ficção que chegou a ganhar um Emmy foi "Lost" em 2005. Ainda assim, não é uma produção de viagem espacial.

Sinto a necessidade da categoria "Melhor Série Nova", que existiu até 1972, a qual poderia compensar injustiças futuras. Nesta categoria, a Academia poderia premiar uma produção que teve um ótimo desenvolvimento logo na primeira temporada, algo difícil de se conseguir. Assim, caso a produção seja relegada por seu gênero (como as de ficção) ou por seu tema (quando não politicamente correto) nos anos subseqüêntes, teria a compensação de ter ganho por se destacar em sua primeira temporada.

É claro que para retomar esta categoria a Academia teria que rever a regra de não permitir a indicação de séries com menos de cinco episódios. Muitas são canceladas injustamente, em função da massa ou questões econômicas/políticas, e não da qualidade do conteúdo, e poderiam ser agraciadas por seus esforços com um prêmio.

Parabéns ao desenho "Uma Família da Pesada/Family Guy", que quebrou um jejum de 58, desculpem, 48 anos ao figurar na categoria de melhor comédia. Este é o segundo desenho que consegue chegar entre os finalistas em comédia, sendo o primeiro "Os Flintstones" em 1961. No ano passado o desenho de Seth McFarlane já tinha conseguido chegar entre os dez finalistas, mas não conseguiu chegar entre os cinco para concorrer ao prêmio. "Os Simpsons" também tentou uma vez se candidatar à categoria melhor comédia, fugindo da área desenho animado onde entram produções adultas e infantis. Mas a produção não foi selecionada.

Será que o desenho vai conseguir desbancar "30 Rock", que domina a lista dos indicados pelo terceiro ano consecutivo?

Já as minisséries não tiveram um bom desempenho em 2009 ficando com apenas duas produções indicadas, sendo uma da BBC, com co-produção da PBS de Boston. Infelizmente, produções estrangeiras não podem concorrer, a não ser que tenham a participação de empresas americanas na ficha técnica. Caso contrário a Inglaterra dominaria esta categoria, com certeza.

Bom, vamos ver o resultado no dia 20 de setembro, lembrando que no dia 12 de setembro será realizada a cerimônia de entrega dos prêmios técnicos e para atores convidados, a qual não é televisionada.

A eleição do vencedor de cada categoria ocorre entre os dias 3 e 28 de agosto. A escolha para compôr o corpo de jurados é aberta a todos os membros da Academia, em suas respectivas áreas. Os membros voluntários são selecionados pela diretoria, sendo que eles não podem estar concorrendo, ou estarem envolvidos com produções que concorrem.

13 comentários:

Jorge disse...

Não engulo a falta de Anna Paquin (True Blood) e Márcia Cross, Felicity Huffman e Teri Hatcher (Desperate Housewives), nas indicações de melhor atriz. Matthew Fox também poderia ter sido indicado por Lost, assim como o elenco de Heroes.

Fernanda Furquim disse...

Oi Jorge, ...e eu ainda estou com o Simon Baker atravessado na garganta!!!!

De um modo geral acho que foi justo, embora tenha um aqui outro ali que eu não indicaria. Por exemplo, além do Simon, não indicaria nem o Shatner nem o Michael Emerson em coadjuvantes

Fernanda Furquim disse...

...e nem o Charlie Sheen!

Spockhur disse...

Para mim o Shatner foi excelente na última temporada de Boston Legal. Eles foi o único ator da série que conseguiu ser indicado por todas as 5 temporadas. E Boston Legal também deveria ter sido indicada como Melhor Série.

Fringe também deveria ter recebido a indicação de John Noble como Melhor Ator Coadjuvante.

Gostei da indicação de Ed Asner pela sua particiáção em CSI: NY. Assisti o episódios outro dia e, nas poucas cenas em que apareceu, foi brilhante. Principalmente na última.

SCULLYSTA disse...

ola.adorei o blog.possuo um sobre arquivo x e gostaria de trocar links com vc.meu end: iwanttobelieve-scullysta.blogspot.com

Gabriel disse...

Antes de tudo, parabéns pelo post. Sobre o Emmy, o que não consigo aceitar é a não indicação da Katherine, que fez um excelente trabalho nessa quinta temporada de Grey's e que merecia bem mais que a Sandra e a Chandra. E claro que faltou Grey's em melhor série drama.

Fiquei feliz com a indicação de Family Guy, que cada vez melhora e até posso estar errado, mas acho que vai desbancar 30 Rock.

Não senti falta de Desperate e do elenco, já que a série está em sua pior temporada, tirando dois episódios (mais precisamente o episódio número 100 e da morte da Eddie). Senti falta da America, que fez um excelente trabalho na 3a temporada de Ugly Betty.

Simon Baker não merecia a indicação. Não sei o que Weeds faz na lista dos indicados, já que a quarta temporada foi a pior, nem Mary Louise salvou a temporada. Muito feliz com Christina Applegate, Toni Collette (que estava na cara que ia ser indicada e vai ganhar) e a grande surpresa pra mim, foi Rose Byrne, mesmo não tendo feito uma boa atuação, gostei da indicação.

Moisés disse...

A não-indicação de The Shield em nenhuma a categoria é patética. In treatment também merecia. Agora Dexter, que está muito fraca em comparação com o início, está aí. Os roteiros decaíram demais, com um fraquíssimo desenvolvimento de personagens.

David® disse...

"cuja relação afetiva se sobrepõe à visão crítica" ..HAHAHA...Adorei essa frase !!!!!

Qdo vi o Simon Baker, juro, achei que era erro de digitação página do UOL..rs.

Adoro o personagem da Sandra Oh (talvez por me identificar) mas Chandra Wilson está anos-luz dos outros atores de Grey's. Torço por ela.

Michael Emerson deveria ganhar esse ano pelo conjunto da obra em LOST...ele é o q sempre salva a série desde a 2 temp.

E já esperava a não indicação de Batterstar mas os atores bem q mereciam uma "nomination" né?

Abraços,

David

Rubens disse...

A única coisa que eu peço e torço: CHEGA DE 30 ROCK! É uma série sem público, e que já ganhou o que tinha que ganhar. Hora de dar chance a outros competidores.

Na verdade eu estranhei a ausencia de The Big Bang Theory, que, pelo menos é super-ultra-divertida. Comédia não tem que fazer rir?

Agora Fernanda, por que você não indicaria o William Shatner (Boston Legal) e o Michael Emerson (Lost) como "melhores coadjuvantes"? Eu sempre achei o Michael Emerson um excelente ator (coisa que falta na maior parte do elenco de Lost).

Fernanda Furquim disse...

Oi Rubens, não acho que os dois tiveram atuações de prêmio nesta última temporada de suas séries.

Concordo que o Emerson é excelente ator, segura muita coisa na série, mas eu teria dado prêmio a ele na primeira temporada em que ele apareceu na trama. Sorry, como é trama contínua me confundo onde começa ou termina uma temporada, pra mim é uma história só.

Já a última de Boston Legal foi feita nas coxas para encerrar. Muito bom o texto, mas dava pra ver que foi na corrida, e a atuação do Shatner não foi de ganhar prêmio.Desta série, quem realmente mereceu a indicação foi o Christian.

Mas este ano o voto aberto fez coisas estranhas no resultado final. Favoreceu algumas produções e atores e prejudicou outros muito mais importantes e merecedores.

Ainda não engoli a presença do Simon Baker e a ausência do Michael Chiklis, por exemplo, ou a ausência de The Shield, que foi uma excelente série do início ao fim.

Moisés disse...

Não a favor desses atores que são premiados (e indicados) todo ano para fazer sempre a mesma coisa, mas como disse a Fernanda, Chiklis merecia muito a indicação - o personagem, da primeira para a última temporada, evoluiu muito. A interpretação dele, especialmente nos episódios finais, é impressionante. Goggins também merecia. Aliás, essa é uma série que tinha um elenco todo de altíssimo nível. E grandes roteiros.

Fiquei feliz pela não-indicação de Grey's Anatomy, essa série superestimada e que, nos seus melhores momentos, era divertidinha. As últimas duas temporadas foram ruins, especialmente a última, sofrível.

Moisés disse...

"Não SOU a favor", pra corrigir a primeira frase.

Moisés disse...

Em breve devo começar Battlestar Galactica que, pelo que dizem pessoas confiáveis, era uma série, também, merecedora de premiações.

Copyright@ 2006-2010 - Revista TV Séries. Textos com seus direitos reservados.